Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismo de ação da lipoxina na proteção do desenvolvimento da malária cerebral experimental

Processo: 16/13805-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Fabio Trindade Maranhão Costa
Beneficiário:Fabio Trindade Maranhão Costa
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Julio Cesar Soares Aliberti
Assunto(s):Endotélio  Etiologia  Malária 

Resumo

Malária, causada pelo parasita protozoário Plasmodium, ainda é um grave problema de saúde pública no mundo fazendo mais de meio milhão de vítimas fatais a cada ano. Um dos aspectos relacionados a esse fato é a escassa compreensão das interações parasita-hospedeiro. Neste contexto, a malária cerebral (MC) é uma síndrome neurovascular frequentemente letal, causada majoritariamente pela infecção por Plasmodium falciparum. Mesmo com tratamento antimalárico eficiente, 10-20% dos pacientes sucumbem a infecção, assim, terapias adjuvantes que atuem em importantes alvos envolvidos na patogênese da doença são urgentemente necessários. Embora a patogênese da MC seja complexa e não totalmente entendida, observações em modelos animais (malária cerebral experimental - MCE) e em humanos infectados pelo P. falciparum suportam a hipótese de que é multifatorial, envolvendo acúmulo de eritrócitos infectados e leucócitos na microvasculatura cerebral, e produção exacerbada de citocinas pró-inflamatórias como IFN-³, TNF-±, linfotoxina-± e IL-12. No entanto, o uso de knockouts para várias citocinas pró-inflamatórias não demonstraram efeito protetor, sugerindo uma redundância entre esses mediadores. Resultados preliminares indicam que a lipoxina, mediador anti-inflamatório derivado do metabolismo do ácido araquidônico pela 5-lipoxigenase, é capaz de proteger camundongos contra a MCE. Além disso, lipoxina prolonga a sobrevida e reduz a resposta pró-inflamatória em camundongos selvagens (WT) infectados com Plasmodium. Assim, diante da busca de terapias eficazes para o tratamento da MC e da necessidade de um melhor entendimento da patogênese da doença, este projeto visa entender os mecanismos envolvidos na proteção do desenvolvimento da MC pela lipoxina, além de determinar seu uso potencial como terapia adjuvante, em associação com os antimaláricos, no tratamento da malária grave. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MOTTIN, MELINA; BORBA, JOYCE V. V. B.; BRAGA, RODOLPHO C.; TORRES, PEDRO H. M.; MARTINI, MATHEUS C.; PROENCA-MODENA, JOSE LUIZ; JUDICE, CARLA C.; COSTA, FABIO T. M.; EKINS, SEAN; PERRYMAN, ALEXANDER L.; ANDRADE, CAROLINA HORTA. The A-Z of Zika drug discovery. DRUG DISCOVERY TODAY, v. 23, n. 11, p. 1833-1847, NOV 2018. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.