Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma plataforma de informações de transporte em tempo real baseada no conhecimento coletivo

Processo: 15/50572-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação - Sistemas de Computação
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Colaborou com o Tema: Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer)
Pesquisador responsável:Marcio Calixto Cabral
Beneficiário:Marcio Calixto Cabral
Empresa:Scipopulis Desenvolvimento e Análise de Dados Ltda
Município: São Paulo
Assunto(s):Cidades inteligentes  Crowdsourcing  Ludificação  Transporte público  Sistemas colaborativos  Tempo-real 

Resumo

Um dos principais problemas das redes de transporte público existentes nas grandes cidades latino americanas, e no estado de São Paulo em particular, é a falta de informação confiável ao usuário. Faltam até mesmo informações básicas, como o número das linhas que passam por um determinado ponto de ônibus. Sistemas de monitoramento de frota como o Olho Vivo, implementado na capital, possuem diversas desvantagens. Por serem caros, são instalados apenas em alguns trechos da rede que sejam mais importantes ou mais sujeitos a problemas. Por serem sistemas de monitoramento de frota, tem por objetivo auxiliar a gestão do sistema pela autarquia que administra a rede de transporte público e não o de fornecer as informações esperadas pelos usuários. É necessária a criação de um sistema de monitoração de baixo custo, com alta ramificação para cobrir as linhas mais distantes dos centros das cidades, e voltado a fornecer as informações que facilitem os deslocamentos do usuário de transporte público. Nosso projeto pretende utilizar o grande número de smartphones distribuídos pela cidade a fim de recuperar informações sobre a rede de transporte público fornecidas pelos próprios usuários. Estas informações podem ser obtidas de forma passiva, através dos sensores já existentes nos telefones (em inglês crowdsensing) mas também de forma ativa, a partir de uma interação explícita do usuário (em inglês crowdsourcing). Este sistema tem um custo baixo de implantação, uma vez que utiliza os telefones que já estão distribuídos pela cidade, é capaz de atingir todas as regiões onde existam linhas de ônibus e, como os dados são gerados pelos próprios usuários, é capaz de fornecer exatamente as principais informações necessárias para que o usuário possa planejar seu deslocamento e realizá-lo da melhor forma possível. (AU)