Busca avançada
Ano de início
Entree

Museus e moda: acervos, metodologias e processos curatoriais

Processo: 16/06729-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de setembro de 2016 - 31 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Márcia Merlo
Beneficiário:Márcia Merlo
Instituição-sede: Istituto Europeo di Design (IED São Paulo). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Moda  Museus 

Resumo

Museus e moda: acervos, metodologias e processos curatoriais é um livro organizado a partir das palestras e discussões realizadas no Moda Documenta. Este livro apresenta uma discussão em torno de museus da indumentária e da moda nacionais e internacionais, curadorias e políticas de acervos em museus físicos e digitais, tanto ligados às artes quanto ao cotidiano no trato de documentação e reflexão sobre artefatos, sejam estes: fotografias, roupas ou outras obras do trabalho humano. Dito de outra forma, nesse entrelaçamento de direções, sentidos e sentimentos, a memória se recoloca nas histórias contadas pelas pessoas e pelas coisas, intensificando o debate em torno do patrimônio dentro e fora do museu, mas afirmando que quando este entra no museu toma um lugar privilegiado por uma sociedade que olha para o institucionalizado com certa admiração, assim como ao propor outra direção do olhar e do sentir, cria estranhamentos deliberados, função essencial da arte e dos museus, a nosso ver, e por que não? Sendo assim, recoloca-se neste livro, o lugar da memória e o sentido político desta afirmação.O segundo livro seguiu o formato do primeiro: três partes referentes as áreas e conteúdos trabalhados pelos autores convidados para esta edição e uma entrevista com criador de moda no Brasil. Os autores foram palestrantes e conferencistas de alguma das cinco edições do Seminário Moda Documenta, até 2015, e a entrevista é com um criador que registra seus processos de criação, contribuindo para pensarmos moda como documento de processos e de épocas. Os autores aqui apresentados trouxeram o objeto de seus estudos e atuações, reiterando o exposto e discutido no Seminário que foca no debate de implementação de acervos digitais na contemporaneidade, sem perder de vista a pluralidade metodológica utilizando da polissemia e polifonia próprias de quem propõe registrar experiências e pensar as memórias em todos os sentidos.A primeira parte foca em pesquisas realizadas em museus de indumentária na Europa e nas Américas, perpassando seus acervos, o trabalho de implantação de arquivos históricos que trabalham com a moda e outras expressões, seja por meio das fotografias e também de histórias contadas aonde se ultrapassa o simples registro da imagem e se adentra ao poder criativo do imaginário social, tanto de pessoas dita comuns quanto personas históricas, trazendo à tona o papel do museólogo, do arquivista e do historiador. A moda e a indumentária aqui passam a ser consideradas partes integrantes dos momentos históricos elencados, uma vez que as roupas vestem, revestem, investem e transvestem modos e ideologias de épocas e são marcadores sociais potentes. A segunda parte de Museus e Moda: acervos, metodologias e processos curatoriais é composta por três textos e está mais voltado à indumentária, seja por meio da criação de figurinos em telenovela de época, das transformações da silhueta feminina, retratando e discutindo a primeira metade do século XX ou nos estudos da moda em museus a partir de um guarda-roupa particular, com trajes de renomados criadores de moda. O fio condutor desta parte do livro é a tessitura da indumentária e da moda, refletindo sobre os tecidos sociais e do imaginário por meio de cenas históricas. Na parte 3 do livro, trataremos dos processos curatoriais e de políticas culturais em museus contemporâneos, aproximando a temática à gestão de acervos e trabalho museal em torno da arte e da moda. Os autores são: Márcia Merlo (IED), Rafaela Norogrando (Universidade de Aveiro), Fausto Viana (USP), Karen Worcman e Cláudia Leonor Guedes de Azevedo Oliveira (Museu da Pessoa), Daniela Calanca (Universidade de Bolonha), Patrícia Sant Anna (Unicamp), Beth Filipecki (Unirio), Aline Bougleaux (Museu Casa da Hera), Ananda Carvalho (PUC-SP), Jofre Silva (UFRJ), Ana Mae Barbosa (USP), Marina Sartori de Toledo (Museu da Língua Portuguesa) e Ronaldo Fraga (Marca Ronaldo Fraga). (AU)