Busca avançada
Ano de início
Entree

Melatonina e a regulação do metabolismo energético: estudos epidemiológicos

Processo: 16/17127-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 13 de fevereiro de 2017 - 12 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:José Cipolla Neto
Pesquisador visitante: Arne James Lowden
Inst. do pesquisador visitante: Stockholm University, Suécia
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50457-0 - Melatonina e a regulação do metabolismo energético: estudos básicos, clínicos e epidemiológicos, AP.TEM
Assunto(s):Neuroendocrinologia  Trabalho noturno  Melatonina  Desenvolvimento fetal  Metabolismo energético  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

Efeito epigenético em distúrbios metabólicos em filhos de mães que trabalham à noite. O risco de desenvolver distúrbios metabólicos tem aumentado na sociedade e é bastante comum entre jovens hoje em dia. Esse projeto parte do pressuposto que esses distúrbios entre as crianças e adolescentes estão relacionados à saúde materna e à exposição ao turno noturno de trabalho durante a gravidez. Modelos animais têm sugerido que a exposição à luz durante o trabalho noturno tem um impacto negativo sobre a programação (estrutura, metabolismo e fisiologia) dos órgãos vitais no feto capaz de gerar danos permanentes. Uma possível explicação tem sido proposta para a associação entre a exposição à luz durante a noite e a secreção de melatonina envolvida na programação genética de órgãos, o que poderia levar a doenças ao longo da vida. Por meio do acompanhamento de filhos de mães que durante a gravidez teriam sido expostas ao trabalho noturno, o presente estudo visa compreender como o ambiente ao qual o feto está exposto precocemente pode causar distúrbios metabólicos durante a infância e adolescência. A coorte de nascimento nacional dinamarquesa coordenada pelo SSI (Statens Serum Institut) convidou todas as mulheres grávidas na Dinamarca no período entre 1997-2002 para participar de um estudo onde condições de vida e estado de saúde foram investigadas. O trabalho noturno foi investigado no primeiro ano da coorte. O objetivo do projeto é analisar se as doenças metabólicas na infância (ou seja, obesidade e diabetes), na faixa de 11 a 14 anos, estão relacionadas à exposição turnos da mãe. Em resumo, o projeto está destacando o desenvolvimento fetal e como diferentes exposições à luz na vida ativa durante a gravidez pode afetar o desenvolvimento metabólico da descendência. Em uma sociedade na qual distúrbios metabólicos estão aumentando devido a um estilo de vida ocidental e que funciona 24 horas, ininterruptamente, muitas pessoas continuarão a ser expostas ao trabalho noturno. É importante investigar os riscos ocupacionais dos horários de trabalho para propor ações de promoção da saúde dos trabalhadores. (AU)