Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da progesterona na expressão de genes envolvidos no estresse oxidativo e defesa antioxidante em células beta pancreáticas e a relação entre o estado redox no plasma de gestantes e desenvolvimento do diabetes gestacional

Processo: 16/14150-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Viviane Abreu Nunes Cerqueira Dantas
Beneficiário:Viviane Abreu Nunes Cerqueira Dantas
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Progesterona  Estresse oxidativo  Diabetes gestacional 

Resumo

O diabetes gestacional (DG), que acomete de 3 a 17% das gestantes em todo mundo, caracteriza-se por hiperglicemia diagnosticada no primeiro ou no segundo trimestre da gravidez. Evidências sugerem que a progesterona (PG), cujas concentrações aumenta na gravidez, poderia contribuir para a adaptação insuficiente da massa de células ² pancreáticas. A PG vem sendo relacionada ao DG em estudos que têm identificado a ação pró-oxidante desse hormônio e seu envolvimento na apoptose de determinados tipos celulares. Embora as vias moleculares envolvidas ainda não tenham sido elucidadas, nosso grupo mostrou que esse hormônio induziu a morte de células ² pancreáticas, e que a pré-incubação das células com ±-tocoferol atenuou ou mesmo aboliu este efeito. Nesse sentido, o presente projeto pretende avaliar o efeito da progesterona na expressão de marcadores de estresse oxidativo e de defesa antioxidante em células ² pancreáticas da linhagem RINm5F. Além disso, será investigado o estado redox no plasma de gestantes, com e sem diagnóstico de DG, com o objetivo de se estabelecer uma relação entre o estado redox, a concentração plasmática de progesterona e o desenvolvimento da doença. A expressão gênica de marcadores de estresse oxidativo e de defesa antioxidante, após tratamento das células com diferentes concentrações de PG, será investigada por PCR Array. As proteínas codificadas pelos genes selecionados serão estudadas por técnicas adequadas para cada tipo de proteína. Em outra vertente do trabalho, serão determinadas, no plasma das gestantes, a atividade das enzimas SOD e CAT e o conteúdo de GSH e 4-hidroxi-2-nonenal. Esse projeto deve colaborar para a melhor compreensão da patogênese do DG, abrindo perspectivas para o desenvolvimento de estratégias de prevenção e tratamento da doença. (AU)