Busca avançada
Ano de início
Entree

Advanced EPR spectroscopy applied to mechanistic studies on metallodrugs-biomolecules interactions

Processo: 16/50342-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Convênio/Acordo: University of Manchester
Proposta de Mobilidade: SPRINT - Projetos de pesquisa - Mobilidade
Pesquisador responsável:Ana Maria da Costa Ferreira
Beneficiário:Ana Maria da Costa Ferreira
Pesq. responsável no exterior: Floriana Tuna
Instituição no exterior: University of Manchester, Inglaterra
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07937-8 - Redoxoma, AP.CEPID
Assunto(s):Química orgânica  Síntese química  Desenvolvimento de fármacos  Metalofármacos  Espécies de oxigênio reativas  Peptídeos beta-amiloides  Estudo multidisciplinar  Cooperação internacional 

Resumo

São propostos estudos multidisciplinares, envolvendo pesquisadores com competências complementares espectroscopia, química sintética, caracterização estrutural, reatividade, simulações teóricas). Pretendemos avançar em nossos estudos desenvolvidos na USP, sobre a reatividade de possíveis metalofármacos que vimos desenvolvendo já há 15 anos. Complexos baseados em diferentes metais essenciais, como cobre(II), zinco(II) ou vanádio(IV) contendo ligantes biologicamente ativos, particularmente derivados de oxindóis, estão sendo extensivamente estudados em nosso laboratório, com a finalidade de desenvolver potenciais novos agentes antitumorais ou antiparasitas. Estes complexos têm DNA e mitocôndria como importantes alvos biológicos, que são significativamente danificados em processo oxidativo, através de espécies reativas de oxigênio. Além disso, estes complexos são capazes de inibir enzimas ou proteínas cruciais como topoisomerase IB humana e quinases dependentes de ciclinas (CDK1/ciclina B, CDK2/ciclina A). Adicionalmente, os ligantes estudados interagem fortemente com peptídeos beta-amiloides, inibindo sua agregação, facilitada por íons de cobre ou zinco. Estes peptídeos estão implicados na doença de Alzheimer. Portanto, em colaboração com o grupo de Manchester, pretendemos aprofundar nossos estudos incluindo técnicas avançadas de EPR (pulsado e com resolução no tempo) para elucidar melhor a ação dos complexos estudados como potenciais agentes farmacológicos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.