Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do impacto da resposta inflamatória sobre complicações cardio-circulatórias em crianças com defeitos septais cardíacos e hipertensão pulmonar no contexto do tratamento cirúrgico: análise de morbimortalidade segundo o perfil de risco

Processo: 15/21587-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Antonio Augusto Barbosa Lopes
Beneficiário:Antonio Augusto Barbosa Lopes
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Claudia Regina Pinheiro Castro Grau ; Filomena Regina Barbosa Gomes Galas ; Marcelo Biscegli Jatene ; Maria Francilene Silva Souza ; Nair Yukie Maeda
Assunto(s):Hipertensão pulmonar  Mediadores da inflamação  Cardiopatias congênitas  Cardiologia  Insuficiência cardíaca 

Resumo

Alterações hemodinâmicas cardiopulmonares graves podem complicar o curso pós-operatório em pacientes pediátricos muito jóvens (lactentes e crianças de baixa idade) indicados para o reparo cirúrgico de defeitos septais cardíacos. Inicialmente, costumava-se considerar que tais distúrbios fossem principalmente relacionados à resposta vascular pulmonar (a assim chamada crise de hipertensão pulmonar - CHP). Esta condição está associada à taxa de mortalidade ao redor de 20% a 30%. O conceito atual é que tanto o coração como a circulação pulmonar tem importância nesses eventos. A disfunção cardíaca direita pode predispor à CHP. Alternativamente, a CHP concorre para a disfunção cardíaca e falência circulatória no período pós-operatório. A hipótese a ser testada no presente estudo é que a magnitude da resposta inflamatória decorrente da cirurgia com circulação extracorpórea pode estar relacionada a eventos pós-operatórios potencialmente graves envolvendo o coração e a circulação pulmonar. A metodologia consistirá na análise de dois grupos, a saber, com e sem desfechos pós-operatórios cardiopulmonares relevantes. Os desfechos serão caracterizados como: 1-instabilidade vascular pulmonar (e suas consequências), documentada por registros pressóricos, saturação de oxigênio e repercussões sistêmicas (hemodinâmica e metabólica); 2- disfunção cardíaca global, registrada por ecocardiografia ao final do período de tratamento intensivo. Os fatores a serem analisados comparativamente nos dois grupos do estudo serão: 1- resposta inflamatória após a circulação extracorpórea, caracterizada através de marcadores solúveis e celulares; 2- elementos demográficos e clínicos pré-operatórios; 3- hemodinâmica cardiopulmonar e estado pré-operatório do ventrículo direito; 4- fatores intra-operatórios incluindo tempo de circulação extracorpórea e registros pressóricos imediatamente após.O impacto da presente investigação parece claro, se considerarmos que os desfechos estão relacionados a altas taxas de mortalidade na população pediátrica em questão, além de custos decorrentes de circulação assistida, ventilação mecânica, uso de óxido nítrico, assim como longos períodos de hospitalização. Conhecer detalhes dos mecanismos envolvidos é etapa crítica na elaboração de estratégias terapêuticas específicas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAEDA, NAIR Y.; AIELLO, VERA D.; SANTOS, PAULO C.; THOMAZ, ANA M.; KAJITA, LUIZ J.; BYDLOWSKI, SERGIO P.; LOPES, ANTONIO AUGUSTO. Relation of Macrophage Migration Inhibitory Factor to Pulmonary Hemodynamics and Vascular Structure and Carbamyl-Phosphate Synthetase I Genetic Variations in Pediatric Patients with Congenital Cardiac Shunts. Mediators of Inflammation, 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.