Busca avançada
Ano de início
Entree

Rede RTK no suporte ao georreferenciamento de imóveis rurais e posicionamento em geral

Processo: 16/07748-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de novembro de 2016 - 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geodésia
Pesquisador responsável:Marcos Guandalini
Beneficiário:Marcos Guandalini
Empresa:GPS Agrimensora Eireli - EPP
Município: São Paulo
Pesq. associados:Danilo Aparecido Rodrigues
Assunto(s):Levantamentos topográficos  Coordenadas terrestres  Georef  Latitude  Longitude  Imóvel rural 

Resumo

Segundo o INCRA (2010) A palavra: "geo" significa terra e referenciar = tomar como ponto de referência, localizar, situar, ou seja: georreferenciar é situar o imóvel rural no globo terrestre, é estabelecer um "endereço" para este imóvel na Terra, definindo a sua forma, dimensão e localização, através de métodos de levantamento topográfico, descrevendo os limites, características e confrontações do mesmo, através de memorial descritivo que deve conter as coordenadas dos vértices definidores dos limites dos imóveis rurais, georreferenciados ao Sistema Geodésico Brasileiro (SGB), (art. 176, § 4º, da Lei 6.015/75, com redação dada pela Lei 10.267/01)A tecnologia e os métodos de posicionamento GNSS são as ferramentas mais utilizadas pelos profissionais de agrimensura e cartografia na determinação dos limites de imóveis rurais visando atender às exigências da lei 10267/01, pois, além de fornecer os dados com alta precisão, já possibilitam o Georreferenciamento destes ao SGB e coordenadas UTM resultantes no datum SIRGAS2000. O Georreferenciamento é dividido em duas etapas, sendo a primeira conhecida como transporte de coordenadas e a segunda como determinação dos pontos perimétricos propriamente ditos. O transporte de coordenadas consiste na definição das coordenadas geodésicas de vértice e ou de marco em uma determinada localidade, neste caso uma referência dentro do imóvel rural a ser medido, sendo usadas pelo menos duas referências conhecidas e homologadas pelo IBGE. O serviço de NRTK (Network Real Time Kinematic - RTK em REDE) do CEGAT (Centro Geodésico da Alezi Teodolini) também contempla os requisitos solicitados pela norma de Georreferenciamento. No caso da utilização do NRTK, a primeira etapa do Georreferenciamento seria extinta, pois não haveria necessidade da realização do transporte de coordenadas uma vez que a NRTK e a base virtual gerada para a correção do receptor GNSS já estão amarradas ao SGB. Quando se trabalha com o NRTK para qualquer aplicação, a grande vantagem é que não é necessária mais a utilização de um par de receptores GNSS, Base e Móvel, pois o papel do receptor Base é feito pelo CEGAT e suas rede de ERAs (Estações de Referência Ativas), portanto, é possível transformar um par em dois receptores GNSS móveis e abrir duas frentes de trabalho. O que possibilita aumentar a produtividade e agilizar todos os processos relativos ao levantamento de feições sobre a superfície terrestre. Para suprir a necessidade do serviço mencionado em áreas sem cobertura GSM, criou-se o serviço de RINEX Virtual. Nesta técnica, os dados são determinados pelo mesmo princípio do NRTK, porém no modo off-line. Os dados provenientes do NRTK são gravados no servidor Central e, a partir destes, é possível criar um arquivo de dados brutos GNSS no formato Rinex para qualquer localidade dentro da área de cobertura do CEGAT, bastando ao usuário apenas informar as coordenadas próximas da área aonde realizou o levantamento. O dado criado pode ser utilizado como se fosse um receptor "Base" para a correção dos dados levantados por um receptor móvel que gravou dados brutos. A proposta, então, do CEGAT, em relação a trabalhos de Georreferenciamento de Imóveis Rurais lei 10267/01, é prover dados Rinex para qualquer posição dentro da área de cobertura da NRTK. A escolha de desenvolver, aplicar e analisar esta nova metodologia aplicada ao Georreferenciamento se justifica devido ao fato do Brasil possuir apenas cerca de 31.026 imóveis rurais certificados o que é menos de 10% dos existentes em todo Brasil. Essa solução não fica restrita ao Georreferenciamento de imóveis rurais, mas poderá ser aplicada por qualquer usuário que necessite realizar posicionamento, independente da finalidade a que se destina tais como monitoramento ambiental, gerenciamento de mananciais, CAR (Cadastro Ambiental Rural) e etc. (AU)