Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento, identificação molecular e detecção de genes de virulência de Yersinia enterocolitica em amostras de leite de tanques de expansão de propriedades do Centro-Oeste Paulista

Processo: 16/15908-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Simone Baldini Lucheis
Beneficiário:Simone Baldini Lucheis
Instituição-sede: Departamento de Descentralização do Desenvolvimento (APTA Regional). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Yersinia enterocolitica  Isolamento  Genes de virulência  Reação em cadeia por polimerase (PCR) 

Resumo

Ainda existe a crença, por grande parte da população, de que o leite cru além de mais saboroso é mais saudável, nutritivo e ainda possui menor preço, bem como de que o leite industrializado possui conservantes e produtos químicos que podem afetar a saúde de quem o consome. Esses argumentos são utilizados por pessoas que consomem leite cru em diversos estados do Brasil. Porém, o leite e seus derivados são ótimos meios para o desenvolvimento de microrganismos patogênicos e deteriorantes, havendo a necessidade de cuidados rigorosos com a ordenha, beneficiamento e estocagem. Dentre os diversos grupos de bactérias que podem se desenvolver no leite cru refrigerado, destacam-se as psicrotróficas, já que multiplicam-se em temperaturas abaixo de 7°C, e assim representam um alto risco para os consumidores de leite cru resfriado. Entre essas bactérias psicrotróficas, Yersinia enterocolitica, que é um enteropatógeno invasivo de humanos, provoca uma série de sintomas clínicos intestinais e extra-intestinais, variando desde uma gastroenterite branda a uma linfadenite mesentérica, podendo mimetizar quadro de apendicite e, em casos raros, com evolução para septicemia, além de poder levar a sequelas imunológicas, incluindo glomerulonefrite, artrite e eritema nodoso. Yersinia enterocolitica já foi identificada no Brasil em material fecal de humanos doentes e de animais, no meio ambiente, em carne e industrializados de suínos, assim como em gelo utilizado para alimentação humana; porém é desconhecida sua real prevalência em leite cru refrigerado. O presente trabalho tem como objetivos detectar e identificar a presença de Yersinia enterocolitica em 101 amostras de leite bovino procedente de tanques de expansão de propriedades localizadas na região Centro-Oeste Paulista, pela inoculação em três diferentes meios de cultura, seguido de provas bioquímicas e utilização do sistema de identificação API 20E, identificação dos biotipos e sorogrupos, além da realização do teste de Reação em Cadeia da Polimerase convencional (cPCR), tanto das amostras de leite do tanque quanto das colônias isoladas suspeitas, bem como detectar a presença dos genes de virulência de espécies patogênicas de Yersinia enterocolitica: inv, ail , YadA, virF, ystA e ystB. Será realizado também o perfil de sensibilidade microbiana das amostras isoladas e a comparação dos diferentes métodos diagnósticos para identificação de Y. enterocolitica. (AU)