Busca avançada
Ano de início
Entree

Comprimento e densidade da papila filiforme: diferenças entre gado susceptível e resistente pode influenciar a infestação por carrapatos

Processo: 16/23148-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 31 de maio de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Cecília José Veríssimo
Beneficiário:Cecília José Veríssimo
Instituição-sede: Instituto de Zootecnia. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Nova Odessa , SP, Brasil
Assunto(s):Bovinos  Comportamento animal  Anatomia animal  Língua (anatomia)  Carrapatos  Artigo científico 

Resumo

Raças indianas são altamente resistentes ao carrapato Rhipicephalus microplus, enquanto as taurinas são susceptíveis a este parasita que causa grandes prejuízos à pecuária. Animais usam suas línguas para autolimpeza, comportamento importante para se livrarem de ectoparasitos. No entanto, o papel da morfologia da língua, especialmente da papila filiforme, neste processo não está bem esclarecido. Este estudo comparou características da papila filiforme da língua de oito Nelores (raça indiana) e oito Holandeses e dois Pardo-Suíços (raças europeias), verificando a relação com a infestação por carrapatos. Biopsias foram realizadas no mesmo local da língua dos bovinos e as medidas foram feitas sob microscopia eletrônica de varredura. Análise de variância de uma via detectou diferenças significativas entre características morfológicas da língua de bovinos europeus e indianos: Nelores tiveram papilas maiores (média de 2,3 ± 0,029 mm; P < 0,001), e mais densas (média de 25,2 ± 1,92 papilas por cm2; P < 0,05) do que os bovinos Europeus (médias de, respectivamente, 1,8 ± 0,027 mm e 20,9 ± 0,74 papilas por cm2). Após a infestação experimental com larvas, o número de carrapatos adultos foi inversamente correlacionado (correlação de Pearson) com o comprimento da papila (r = -0,566; P = 0,014) e diretamente correlacionado com a distância entre os ápices das papilas (r = 0,567; P = 0,018). O espaçamento entre as papilas é menor nos Nelores, de modo que sua língua seria mais áspera, e, consequentemente, mais efetiva na remoção das larvas no processo de autolimpeza, explicando a maior resistência dos zebuínos ao carrapato. (AU)