Busca avançada
Ano de início
Entree

O telescópio BINGO: a nova janela de 21cm para exploração do universo escuro e outras questões astrofísicas

Processo: 14/07885-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Temático
Vigência: 01 de dezembro de 2016 - 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia
Pesquisador responsável:Elcio Abdalla
Beneficiário:Elcio Abdalla
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesquisadores principais:Carlos Alexandre Wuensche de Souza ; Luis Raul Weber Abramo
Pesq. associados:Thyrso Villela Neto
Bolsa(s) vinculada(s):18/02026-0 - Desenvolvimento e caracterização da instrumentação do telescópio BINGO, BP.PD
17/21570-0 - Telescópio BINGO: uma nova janela de 21 cm para explorar o universo escuro e outros fenômenos astrofísicos, BP.PD
Assunto(s):Cosmologia (astronomia)  Universo primordial  Matéria escura  Energia escura  Telescópios  Astrofísica  Bárion 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/astronomia_nRea6fV_9_9.pdf

Resumo

BINGO é um radiotelescópio único concebido para fazer a primeira detecção de Oscilações Acústicas de Bárions (BAO) a frequências de rádio. Este objetivo será alcançado através da medição da distribuição de hidrogênio neutro a distâncias cosmológicas utilizando uma técnica chamada de Mapeamento de Intensidade. Junto com as anisotropias da Radiação Cósmica de Fundo, a escala do BAO é uma das sondas mais poderosos de parâmetros cosmológicos, incluindo a energia escura. O telescópio será construído em um sitio de RFI baixa no norte do Uruguai e localizado em uma mina de ouro abandonada a céu aberto. Ele vai operar na faixa de frequência que vai de 0,96 GHz a 1,26 GHz, será de um projeto da escala compacto de dois espelhos com um primário de 40 m de diâmetro e não têm partes móveis. Tal desenho dará um excelente desempenho de polarização e níveis muito baixos de lobos secundários, o que é necessário para o mapeamento de intensidade. Com uma disposição de 50 receptores, ele mapeará uma tira de 15 graus com o passar do telescópio. Os parceiros BINGO são Brasil, Reino Unido, Suíça e Uruguai. O custo global do projeto, incluindo os custos de pessoal, é estimada em 4.980.000 dólares. O pedido atual é de 2.980 mil dólares para financiar principalmente o custo dos componentes para os módulos receptores mais antenas e sua montagem. Espera-se que a montagem será realizada no Brasil e que a maioria dos componentes também seja fornecida pela indústria brasileira. Uma motivação importante para o projeto é a formação de engenheiros e técnicos brasileiros nas habilidades necessárias para que, no futuro, eles possam produzir sistemas de radioastronomia no chamado "estado da arte. Para este fim, o plano é que o módulo receptor protótipo seja construído e testado no Jodrell Bank Centre de renome mundial de Astrofísica, em Manchester por uma equipe conjunta anglo-brasileira. Desta forma, a equipe brasileira irá adquirir as habilidades necessárias para montar e testar o restante dos 50 módulos no Brasil. A experiência e ciência adquiridas também são vantajosas para qualquer futura participação de cientistas brasileiros no projeto Square Kilometre Array (SKA). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisadores do IF da USP participam da construção do radiotelescópio BINGO 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Ondas de matéria do Universo jovem 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PEEL, M. W.; WUENSCHE, C. A.; ABDALLA, E.; ANTON, S.; BAROSI, L.; BROWNE, I. W. A.; CALDAS, M.; DICKINSON, C.; FORNAZIER, K. S. F.; MONSTEIN, C.; STRAUSS, C.; TANCREDI, G.; VILLELA, T. Baryon Acoustic Oscillations from Integrated Neutral Gas Observations: Radio Frequency Interference Measurements and Telescope Site Selection. JOURNAL OF ASTRONOMICAL INSTRUMENTATION, v. 8, n. 1, SI MAR 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.