Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismo de ação mastócito dependente do estradiol na disfunção da barreira epitelial intestinal induzida pela inflamação sistêmica

Processo: 16/01053-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2016 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Celso Rodrigues Franci
Beneficiário:Celso Rodrigues Franci
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Barbosa Ribeiro
Assunto(s):Histamina  Translocação bacteriana  Sepse 

Resumo

A fase inicial da sepse é caracterizada pela produção sistêmica exacerbada de mediadores inflamatórios. A "desregulação" da resposta inflamatória está diretamente correlacionada à injúria tecidual, aumento na permeabilidade intestinal e translocação bacteriana. Os mediadores inflamatórios comprometem a estrutura das tight junctions intestinais ao modificarem a expressão de suas proteínas constituintes. O estradiol parece ter efeito protetor em modelos experimentais de sepse, possivelmente por modular a função de células do sistema imune e a síntese de mediadores inflamatórios. Os dois subtipos de receptores de estradiol (ERs) são normalmente expressos na mucosa intestinal, porém sua participação na manutenção da integridade da barreira epitelial intestinal durante a inflamação sistêmica ainda é desconhecida, bem como os seus mecanismos de ação. Os mastócitos também parecem ser importantes para a manutenção da integridade da barreira epitelial intestinal, sendo que a degranulação de suas proteases (quimases e triptases) e histamina possuem relação direta com o aumento de permeabilidade colônica em ratos. Diversos estudos demonstram a expressão de ERs em mastócitos e têm ressaltado o caráter inibitório do estradiol sobre a atividade dessas células, incluindo secreção de proteases e citocinas. Assim, o objetivo do presente estudo consiste em avaliar o papel do estradiol na disfunção da barreira epitelial intestinal induzida pela inflamação sistêmica em ratas e a sua relação com a ativação de mastócitos da mucosa intestinal. Nossa hipótese é que o tratamento com estradiol module a resposta inflamatória, permeabilidade intestinal e a ativação de mastócitos. O estudo da patogênese da sepse e o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas representam passos importantes para o aumento na sobrevida dos pacientes acometidos. (AU)