Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento muscular inspiratório em pacientes com hipertensão pulmonar tromboembólica crônica: ensaio clínico randomizado

Processo: 16/18497-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Roberta Pulcheri Ramos
Beneficiário:Roberta Pulcheri Ramos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Eloara Vieira Machado Ferreira Alvares da Silva Campos ; Jaquelina Sonoe Ota Arakaki ; Luiz Eduardo Nery ; Priscila Cristina de Abreu Sperandio ; Wladimir Musetti Medeiros
Assunto(s):Pneumologia  Debilidade muscular 

Resumo

INTRODUÇÃO: Apesar dos avanços terapêuticos, muitos pacientes com hipertensão pulmonar tromboembólica crônica (HPTEC) permanecem com importante limitação aos esforços. Além da disfunção hemodinâmica central, a inflamação sistêmica e a redução da oferta periférica de oxigênio podem levar a anormalidades na musculatura estriada periférica, com repercussão especial em grupamentos musculares sob alta demanda, como a musculatura respiratória. Diante da marcante resposta ventilatória exacerbada em pacientes com HPTEC, com possível ativação de metaboreceptores, aumento da atividade simpática e desvio de fluxo sanguíneo da musculatura periférica, é possível que o treinamento muscular inspiratório (TMI) seja uma estratégia útil na melhora da tolerância ao exercício desses pacientes. OBJETIVO PRINCIPAL: Avaliar os efeitos do TMI na força e endurance da musculatura respiratória e na capacidade de exercício, avaliada por meio do tempo de tolerância em teste de exercício cardiorrespiratório (TECR) de carga constante em cicloergômetro e pela distância percorrida no teste de caminhada de 6 minutos (TC6M). MÉTODOS: 32 pacientes com HPTEC confirmada por cateterismo cardíaco direito e exames de imagem realizarão avaliação de função pulmonar, medidas de pressões inspiratória e expiratória máximas, avaliação de força muscular periférica por dinanometria isocinética, TC6M, TECR incremental e de carga constante com avaliação hemodinâmica não invasiva e de oxigenação periférica. Posteriormente, serão submetidos a TIM constituído por 2 sessões de treinamento diárias consistindo de 30 respirações (~50% PiMAX; 4-5 minutos por sessão), por 8 semanas. O grupo SHAM irá executar 2 sessões diárias de 30 respirações, sem carga inspiratória, durante todo o período do estudo. RELEVÂNCIA CLÍNICA: Apesar da possibilidade de tratamento curativo, muitos portadores de HPTEC não apresentam indicação cirúrgica e outros permanecem com limitação aos esforços após o procedimento. Adicionalmente, apesar dos avanços na terapia medicamentosa, a intolerância ao exercício ainda persiste como limitante da qualidade de vida destes indivíduos, com significativas implicações prognósticas, o que abre perspectivas para a identificação de novas estratégias terapêuticas para pacientes com HPTEC. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROLLM, JOAO VICTOR; OTA-ARAKAKI, JAQUELINA SONOE; FERREIRA, ELOARA V. M.; FIGLIOLINO, GABRIELA A. M.; IVANAGA, IVAN; VIEIRA, ELAINE BRITO; FONSECA, ANGELO X. C.; MESSINA, CAROLINA M. S.; COSTA, CAMILA MELO; ALBERTO NEDER, J.; NERY, LUIZ EDUARDO; RAMOS, ROBERTA PULCHERI. Inspiratory muscle weakness contributes to exertional dyspnea in chronic thromboembolic pulmonary hypertension. PLoS One, v. 13, n. 9 SEP 27 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.