Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise funcional dos genes do sistema de oxidação fosforilativa em tumores tireoidianos

Processo: 16/20458-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Laura Sterian
Beneficiário:Laura Sterian
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Natassia Elena Bufalo ; Valdemar de Jesus Conde Máximo
Assunto(s):Mitocôndrias  Endocrinologia 

Resumo

Os tumores de células de Hürthle (TCH) da tireoide apresentam um citoplasma granular, volumoso e eosinofílico devido ao grande aumento do número de mitocôndrias. As bases moleculares que justificam estas características não são totalmente conhecidas. Sugere-se que as mitocôndrias possuam um papel relevante na formação deste tipo de tumor. A mitocôndria tem um papel essencial na produção de energia celular, tendo sido proposto que a causa da proliferação mitocondrial neste tipo de célula represente uma espécie de mecanismo compensatório da diminuição da capacidade fosforilativa celular. Carcinomas da tireoide apresentam maior frequência de mutações somáticas do tipo missense em genes do Complexo I do que os adenomas. Tais mutações parecem estar envolvidas na tumorigênese de neoplasias com células de Hürthle. Recentemente um novo gene relacionado às mitocondrias foi identificado, o gene GRIM-19. GRIM-19 é um gene promotor da apoptose e regulador da morte celular, e também está envolvido no metabolismo mitocondrial. Assim, o gene GRIM-19 surge como tendo dois papéis fundamentais na célula: é membro da via de morte celular induzida pelo interferon ² e pelo ácido retinóico e é parte integrante do Complexo I mitocondrial. Estes dois papéis aparentemente díspares podem estar ligados pelo envolvimento das mitocôndrias na apoptose. O duplo papel funcional do GRIM-19 faz dele um bom gene candidato do processo tumorigênico em neoplasias como o TCH. As mutações no gene GRIM-19 são as primeiras alterações genéticas em genes nucleares específicas dos TCH a serem descritas até o momento. O objetivo do presente projeto é progredir na compreensão do papel funcional das mutações do gene GRIM-19 na tumorigênese tireoidiana. Acredita-se que há uma associação entre carcinomas esporádicos e familiares de células de Hürthle e mutações do GRIM-19. Como os casos com mutações no GRIM-19 apresentam um aumento da expressão do gene ICAM1, o que sugere que essas mutações sejam inativantes, queremos saber se esta associação é exclusiva dos TCH, se está limitada a carcinomas ou se pode também ocorrer em adenomas. Pretendemos também demonstrar, in vitro, as alterações funcionais induzidas pelo "silenciamento" do GRIM-19, nomeadamente em termos de atividade da cadeia respiratória mitocondrial, expressão genética "downstream", apoptose e proliferação celular. (AU)