Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da quitinase das Espécies de Leishmania endêmicas da América do Sul: utilização no diagnóstico em humanos, cães e flebotomíneos

Processo: 16/14514-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Speranca
Beneficiário:Marcia Aparecida Speranca
Instituição-sede: Centro de Ciências Naturais e Humanas (CCNH). Universidade Federal do ABC (UFABC). Ministério da Educação (Brasil). Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Diniz Cabral ; Andréa Pereira da Costa ; Arlei Marcili ; Luciamare Perinetti Alves Martins
Auxílios(s) vinculado(s):18/01403-5 - Método não destrutivo para Extração de DNA de artrópodes: implicações em estudos morfológicos e moleculares, PUB.ART
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular  Doenças transmissíveis  Testes sorológicos  Epidemiologia  Leishmaniose visceral  Quitinase  Leishmaniose cutânea 

Resumo

A leishmaniose é uma doença infecciosa negligenciada em expansão na América do Sul, incluindo o Brasil, causada por parasitas do gênero Leishmania, classe Kinetoplastida e família Trypanosomatidae. Há mais de 30 espécies de Leishmania sendo que destas, 20 causam doença em humanos em diferentes partes do mundo. A transmissão do protozoário ocorre em ciclos difásicos por insetos vetores da Família Psycodidae (flebotomíneos), gêneros Phlebotomus (no Velho Mundo) e Lutzomyia (no Novo Mundo - Américas), aos humanos, cães domésticos e animais silvestres. A apresentação clínica desta doença depende da espécie do parasita e da resposta imunológica do hospedeiro, sendo variável, com um espectro que vai desde indivíduos e animais assintomáticos; lesões tegumentares (LT), as quais podem ser cutâneas e mucocutâneas com sequelas desfigurantes e incapacitantes; e a forma visceral (LV) que é a mais grave já que se não for tratada corretamente, pode levar ao óbito. Na América do Sul, a espécie causadora da LV é a L. infantum chagasi, enquanto que a LT é principalmente causada pelas espécies L. braziliensis, L. amazonensis, L. guyanensis, L. naiffi, L. shawi e L. lainsoni. Cada espécie de Leishmania é transmitida por vetores específicos. A ineficácia dos atuais métodos de controle e tratamento das leishmanioses está relacionada à dificuldade em diagnosticar e identificar as espécies de Leishmania em circulação. A identificação correta das espécies de Leishmania é fundamental para o tratamento de humanos e manejo adequado dos reservatórios animais, sobretudo em áreas endêmicas para várias espécies do parasita, além de outros tripanossomatídeos, o que resulta em reações cruzadas em testes de diagnósticos. Estudo prévio realizado por nosso grupo de pesquisa demonstrou que o gene que codifica a quitinase de L. i. chagasi apresentou alta sensibilidade e especificidade no diagnóstico desta espécie de Leishmania em amostras humanas. A especificidade de sequencia de nucleotídeos e aminoácidos da quitinase nas diferentes espécies de Leishmania, a expressão da proteína nos estágios de desenvolvimento do parasita dos hospedeiros vertebrado e invertebrado, e a exportação para o meio extracelular, apoiam a hipótese de que a quitinase de Leishmania constitui-se em excelente ferramenta para o diagnóstico molecular e também para pesquisa de anticorpos específicos produzidos para cada espécie do parasita. Portanto este projeto tem por objetivo utilizar o gene que codifica a quitinase como alvo no diagnóstico molecular das espécies de Leishmania endêmicas da América do Sul, em humanos, cães e flebotomíneos. Formas recombinantes da proteína serão utilizadas em testes de diagnóstico sorológico de diferentes espécies de Leishmania em humanos e cães. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VERDE OLIVEIRA ROCHA, ANA VITORIA; SODRE MORENO, BRENDA FERNANDA; CABRAL, ALINE DINIZ; LOUZEIRO, NAYARA MENDES; MIRANDA, LEANDRO MACEDO; BRANDAO DOS SANTOS, VIVIAN MAGALHAES; COSTA, FRANCISCO BORGES; SEABRA NOGUEIRA, RITA DE MARIA; MARCILI, ARLEI; SPERANCA, MARCIA APARECIDA; DA COSTA, ANDREA PEREIRA. Diagnosis and epidemiology of Leishmania infantum in domestic cats in an endemic area of the Amazon region, Brazil. Veterinary Parasitology, v. 273, p. 80-85, SEP 2019. Citações Web of Science: 0.
SANTOS, DAUBIAN; RIBEIRO, GUILHERME CUNHA; CABRAL, ALINE DINIZ; SPERANCA, MARCIA APARECIDA. A non-destructive enzymatic method to extract DNA from arthropod specimens: Implications for morphological and molecular studies. PLoS One, v. 13, n. 2 FEB 1 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.