Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfis de microRNAs como ferramenta de identificação de recidiva em pacientes com câncer de próstata

Processo: 16/08449-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2017 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Ana Lígia Buzolin
Beneficiário:Ana Lígia Buzolin
Empresa:Onkos Diagnósticos Moleculares Ltda. - ME
Município: Ribeirão Preto
Pesq. associados:Flavio Mavignier Cárcano ; Marcos Tadeu dos Santos ; Mariana Andozia Morini ; Wesley Justino Magnabosco
Assunto(s):Prostatectomia  Neoplasias da próstata  Metástase  MicroRNAs  Recidiva 

Resumo

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre homens no Brasil (aproximadamente 28 % dos casos) e nos últimos anos tem sido observado um aumento na sua incidência, com alta taxa de mortalidade. Diretrizes estabelecidas pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomendam que o diagnóstico deve ser predito após a realização do toque retal (TR) e da dosagem do antígeno prostático específico (PSA). O diagnóstico só é definido através de biópsia. Geralmente, indica-se a prostatectomia radical (PR) para pacientes que apresentam neoplasia localizada, clinicamente significativa e com expectativa de sobrevida de pelo menos 10 anos. Entretanto um alto percentual (30 % - 40 %) dos pacientes apresentam recidiva bioquímica, sendo que grande parte deles apresentam manifestação de doença metastática. Ainda não há um marcador tumoral ideal para o diagnóstico de câncer de próstata, mas o PSA é o mais utilizado para detecção de recidiva bioquímica após PR, apesar de sua baixa especificidade. Alternativamente, a identificação de biomarcadores moleculares tem se mostrado uma abordagem inovadora na predição do risco de recidiva bioquímica e agressividade do câncer de próstata. MicroRNAs são potenciais candidatos a biomarcadores devido à sua participação em processos de proliferação, diferenciação e progressão celular, agindo como oncogenes ou supressores tumorais, além de oferecerem alta especificidade. Portanto, nosso objetivo é desenvolver, validar e comercializar um teste molecular baseado em microRNA profiling que possa prever com alta acurácia os riscos de uma recidiva bioquímica e progressão do tumor para metástase em pacientes que realizaram a prostatectomia radical. Para isso, pretendemos avaliar a expressão de microRNAs selecionados (com base em extensa pesquisa bibliográfica) em tecidos tumorais de próstata de três grupos de pacientes: os que não apresentaram reincidência do câncer; os que tiveram recidiva bioquímica sem metástase dentro de 5 anos após a prostatectomia, e os que desenvolveram metástase. Metade das amostras será analisada e servirá de base para o desenvolvimento de um classificador molecular baseado em assinaturas de microRNA. A outra parte das amostras será usada na validação do algoritmo desenvolvido. A ONKOS contará com a parceria e a infraestrutura do Hospital de Câncer de Barretos e pretende atuar em um nicho do mercado de diagnósticos moleculares até então não explorado no Brasil, estabelecendo a técnica de Gene Expression Profiling como uma plataforma tecnológica, com foco na área de medicina personalizada para oncologia. Sob os pilares do conhecimento, inovação aberta e solução ao cliente, a empresa pretende se diferenciar da concorrência através de um P&D de alto desempenho. É de fundamental importância o desenvolvimento de novas técnicas de determinação dos fatores prognósticos em câncer de próstata que permitam o apoio a tomada de decisão clínica de forma mais objetiva que as ferramentas atuais, visando individualizar o tratamento assim como possibilitar um preço mais acessível que os competidores por se tratar de uma tecnologia nacional. (AU)