Busca avançada
Ano de início
Entree

Práticas alimentares de lactentes com baixo peso ao nascer: relação com crescimento, condição nutricional, micronutrientes e adipocinas

Processo: 16/09428-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Maria Wany Louzada Strufaldi
Beneficiário:Maria Wany Louzada Strufaldi
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pediatria  Crianças  Peso ao nascer  Nutrição infantil  Crescimento e desenvolvimento  Micronutrientes  Adipocinas 

Resumo

O aumento na sobrevida de recém-nascidos prematuros e de baixo peso ao nascer (BPN), em paralelo ao aumento na prevalência de sobrepeso e suas co-morbidades, refletem novas demandas e aspectos a serem investigados e valorizados para os profissionais da saúde. A importância da alimentação apropriada nos primeiros meses de vida, especialmente durante a introdução da alimentação complementar, relaciona-se ao adequado crescimento e desenvolvimento, assim como, à prevenção de doenças crônicas na vida adulta. Pesquisas nacionais revelam diversas inadequações nas práticas alimentares de lactentes; entretanto, pouco se sabe a respeito da ingestão dietética de crianças nascidas com baixo peso, que se tornam mais vulneráveis às alterações metabólicas frente a uma rápida recuperação nutricional. Considerando que os lactentes BPN apresentam maior risco para o desenvolvimento de distúrbios nutricionais (imediatos e tardios) e metabólicos e a grande expectativa por parte dos familiares e profissionais de saúde para que essas crianças recuperem rapidamente seu potencial de crescimento, ainda existem diversos aspectos a serem esclarecidos em relação a qual seria a velocidade de crescimento ideal para esses lactentes e as práticas alimentares envolvidas nesse processo. O presente projeto propõe descrever as práticas alimentares até o primeiro ano de vida e verificar associações com o crescimento, a condição nutricional, a ingestão dietética, a concentração de micronutrientes, adipocinas e IGF-1 de lactentes nascidos com baixo peso. (AU)