Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de bioenergia e biofertilizantes através de digestão anaeróbia da vinhaça e cultivo de microalgas

Processo: 14/21504-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de fevereiro de 2017 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Renato Sano Coelho
Beneficiário:Renato Sano Coelho
Empresa:Sagitta - Consultoria em Projetos de Energia Renovável Ltda
Município: Campinas
Bolsa(s) vinculada(s):17/11336-0 - Produção de bioenergia e biofertilizantes através de digestão anaeróbia da vinhaça e cultivo de microalgas, BP.TT
17/11403-0 - Produção de bioenergia e biofertilizantes através de digestão anaeróbia da vinhaça e cultivo de microalgas, BP.TT
17/05532-1 - Produção de bioenergia e biofertilizantes através de digestão anaeróbia da vinhaça e cultivo de microalgas, BP.TT
17/04225-8 - Produção de bioenergia e biofertilizantes através de digestão anaeróbia da vinhaça e cultivo de microalgas, BP.PIPE
Assunto(s):Fertilizantes biológicos  Bioenergia  Biogás  Algas  Nitrogênio  Potássio  Vinhaça 

Resumo

Esta pesquisa vai avaliar a produção de fertilizantes através da fixação de nitrogênio atmosférico por cianobactérias e da fixação de potássio dissolvido por macrófitas usando vinhaça biodigerida como meio de cultura. Estes processos podem suprir as necessidades de nitrogênio da cultura de cana de açúcar e propiciar a separação dos nutrientes dissolvidos na vinhaça, especialmente o potássio, por processos de baixa demanda de energia, diminuindo o volume de vinhaça a ser aplicada na lavoura e evitando a compra de fertilizantes nitrogenados. A biodigestão da vinhaça produz biogás que pode ser utilizado para geração elétrica durante a safra de cana de açúcar. Os reatores utilizados para produção de cianobactérias e macrófitas na safra podem produzir microalgas com grande capacidade de produção de biomassa na entressafra, que serviriam de substrato para produção de biogás, mantendo reatores de produção algas, digestor e demais equipamentos de geração operacionais ao longo do ano todo. O processo é descrito em detalhes no pedido de patente INPI n° BR 13 2014 025044 0. (AU)