Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento, avaliação da toxicidade e do potencial reparador ósseo de materiais à base de fibroína ou celulose bacteriana associados à hidroxiapatita e anticorpos anti-BMP-2

Processo: 16/25926-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2017 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Ticiana Sidorenko de Oliveira Capote
Beneficiário:Ticiana Sidorenko de Oliveira Capote
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Citotoxicidade  Genotoxicidade  Biomateriais  Expressão gênica  Testes de mutagenicidade 

Resumo

A engenharia tecidual voltada ao tecido ósseo tem como objetivo proporcionar uma reparação/regeneração que apresente propriedades físicas e biológicas similares ao osso natural com restabelecimento adequado das suas funções. Neste contexto, materiais aloplásticos baseados em biopolímeros como a fibroína da seda (FS) e celulose bacteriana (CB) têm proporcionado a síntese de excelentes biomateriais para reparação/regeneração óssea. Esses biopolímeros são biocompatíveis, possuem características mecânicas interessantes, apresentam uma lenta taxa de degradação in vivo, além da capacidade de serem modificados quimicamente. Para conferir a estes biopolímeros uma melhor bioatividade com intuito de potencializar a eficácia local da reparação/regeneração óssea, o objetivo do presente estudo consiste em sintetizar uma matriz à base de FS e outra à base de CB, sendo cada uma associada à hidroxiapatita e anticorpo anti-proteína morfogenética óssea (anti-BMP-2). Espera-se que as matrizes com anti-BMP-2 imobilizado sejam eficazes na captura de BMP-2 endógena, conferindo uma diferente abordagem terapêutica e potencial uso para engenharia tecidual óssea. Para tanto, estas matrizes serão caracterizadas físico-quimicamente e, para análise do potencial destas matrizes na reparação/regeneração óssea, serão realizados ensaios in vitro para investigação de citotoxicidade, genotoxicidade, mutagenicidade, além de expressão gênica e proteica indicadora de diferenciação osteoblástica (fosfatase alcalina) e detecção da formação de nódulos minerais por coloração com Vermelho de Alizarina. Em conjunto, pretende-se com esta proposta desenvolver materiais com uma abordagem terapêutica mais eficiente para reparação/regeneração óssea. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.