Busca avançada
Ano de início
Entree

Xylella fastidiosa em oliveiras no Brasil: conhecendo a bactéria e o vetor para base de um manejo sustentável

Processo: 16/02176-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2017 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Convênio/Acordo: União Europeia (Horizonte 2020)
Pesquisador responsável:Helvecio Della Coletta Filho
Beneficiário:Helvecio Della Coletta Filho
Pesq. responsável no exterior: Maria Saponari
Instituição no exterior: Consiglio Nazionale delle Ricerche (CNR), Itália
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Alessandra Alves de Souza ; Edna Ivani Bertoncini ; Joao Roberto Spotti Lopes ; Luiz Fernando de Oliveira da Silva ; Marcos Antonio Machado ; Rodrigo P. P. Almeida
Assunto(s):Doenças de plantas  Xylella fastidiosa  Interações hospedeiro-patógeno  Olea  Manejo e tratos culturais 

Resumo

Até recentemente restrita ao continente americano, a bactéria multi-hospedeira e transmitida por vetor, X. fastidiosa, vem-espalhando para outras regiões como observado pelas recentes notícias vindas da Europa (Sul de Itália e França) e da Ásia (Irão e Taiwan). Além de hipóteses que poderíamos ter para explicar o "boom" da X. fastidiosa fora das Américas é fato que a bactéria tem sido bem sucedida nestes novos ambientes, sendo hábil em colonizar espécies de plantas nunca encontradas. O impacto devastador causado pelo surto conhecido como 'Declínio Rápido da Oliveira - Olive Quick Decline (OQD) associado com X. fastidiosa subsp. pauca na Puglia (sul da Itália), a ocorrência de X. fastidiosa subsp. multiplex em plantas ornamentais no sul da França, e à intercepção de outras subespécies e cepas de X. fastidiosa vem se tornando uma grande preocupação para a comunidade européia envolvida na proteção de plantas. Por outro lado, aqui no Brasil, há uma emergente indústria de azeite de oliva (http://assoolive.blogspot.com.br/) representado por pequenos produtores de cerca de 70 municípios localizados em regiões montanhosas de São Paulo e Minas Gerais. Infelizmente X. fastidiosa subsp. pauca também foi encontrada infectando plantas de oliveira em alguns dos olivais de ambos os Estados. No entanto as esturpes de X. fastidiosa encontrada em oliveiras no Sul da Itália e no Brasil (São Paulo e Minas Gerais) não são a mesma. Desde 2014 vimos trabalhando em colaboração com os pesquisadores italianos (Dra Maria Saponari e Dr. Donato Boscia - - Institute for Sustainable Protection - CNR, Bari, Itália) em relação a X. fastidiosa. Agora, com a proposta XF-ACTORS (Xylella fastidiosa -Active Containment Through a Multidisciplinary-Oriented Research Strategy) apresentada ao Horizonte 2020 na União Europeia e com a colaboração FAPESP com H2020 abre a possibilidade de estreitamento desta colaboração com os parceiros da UE, mas estudando o problema de X. fastidiosa em oliveiras que está em curso aqui no Brasil. O objetivo desta proposta é decompor a interação oliveira-X. fastidiosa estudando: 1. o patógeno com foco em responder as perguntas como "quais são" e "onde vem" as estirpes de X. fastidiosa; 2. Diferentes reações da planta hospedeira em busca de hospedeiros alternativos e fontes de resistência em oliveiras presentes em Banco de Germoplasma; 3. a ecologia de espécies de vetores presentes em pomares de oliveiras em diferentes regiões geográficas e quem são os potenciais vetores; e 4. uso compostos bactericida e anti-oxidante no manejo de plantas de oliveira com X. fastidiosa. Acreditamos que a nossa experiência adquirida com o patossistema Clorose Variegada dos Citros - X. fastidiosa, a riqueza de isolados da bactéria e vetores presentes na região Tropical serão útil em colaboração com os parceiros europeus, bem como para os estudos dessas bactérias em oliveira. Por outro lado, pesquisadores europeus vem trabalhando intensamente com X. fastidiosa em oliveiras por mais tempo do que nós, o que poderia abreviar algumas etapas da pesquisa sobre a infecção de oliveira por X. fastidiosa no Brasil. Além disso, a proposta XF-ACTOR envolve cerca de 26 pesquisadores (UE, Taiwan, Costa Rica e EUA) aumentando significativamente nossa rede de colaboração. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SAFADY, NAGELA GOMES; LOPES, JOAO R. S.; FRANCISCO, CAROLINA S.; DELLA COLETTA-FILHO, HELVECIO. Distribution and Genetic Diversity of Xylella fastidiosa subsp. pauca Associated with Olive Quick Syndrome Symptoms in Southeastern Brazil. PHYTOPATHOLOGY, v. 109, n. 2, p. 257-264, FEB 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.