Busca avançada
Ano de início
Entree

Contribuições para o entendimento da origem e evolução dos cromossomos sexuais de vertebrados, baseado no estudo de DNAs repetitivos

Processo: 17/00195-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2017 - 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Patricia Pasquali Parise Maltempi
Beneficiário:Patricia Pasquali Parise Maltempi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Assunto(s):DNA satélite  Citogenética  Peixes  Cromossomos 

Resumo

Apesar da maioria das espécies de peixes e anfíbios não apresentarem cromossomos sexuais diferenciados, já foram descritos vários mecanismos cromossômicos de determinação de sexo, que incluem fêmeas ou machos heterogaméticos, organizados em sistemas simples ou múltiplos. Na maioria dos casos, a diferença entre os homólogos sexuais envolve blocos heterocromáticos e este fato é muito bem estabelecido em sistemas do tipo ZZ:ZW, em que perda ou ganho de heterocromatina são as principais causas de diferenciação entre estes cromossomos. Uma das espécies de peixes a ser estudada no presente trabalho, pertencente ao grupo dos Leporinus (ZZ/ZW), já vêm sendo objeto de estudos em nosso laboratório, nos quais foram obtidos interessantes resultados, principalmente com relação a sequências repetitivas. Apesar das informações já obtidas, pouco ainda se sabe sobre a evolução dos cromossomos sexuais e determinação do sexo no grupo dos Leporinus e em peixes. A espécie de anfíbio, Proceratophrys boiei, a ser estudada no presente projeto apresenta um suposto sistema de cromossomos sexuais também do tipo ZZ/ZW, que não foi ainda estudado do ponto de vista molecular envolvendo o isolamento de sequências repetitivas. Sendo assim, neste projeto pretende-se mapear as sequências repetitivas, principalmente as do tipo satélites presentes no genoma dessas duas espécies de vertebrados, verificando a relação delas com os cromossomos sexuais. Além disso, pretende-se também estudar outras sequências repetitivas, que possam não estar associadas aos cromossomos sexuais, mas que podem se mostrar interessantes marcadores cromossômicos para os dois grupos de vertebrados. Todas as sondas serão hibridadas nos cromossomos das espécies citadas e os resultados comparados entre espécies e entre diferentes populações a fim de se conhecer marcadores espécie/população específicos. Os dados obtidos poderão trazer valiosas informações para o entendimento da organização estrutural e evolução do genoma de peixes e anfíbios. (AU)