Busca avançada
Ano de início
Entree

Floral vasculature and its variation for carpellary supply in anthurium (Araceae, Alismatales)

Processo: 17/02363-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de junho de 2017 - 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Alessandra Ike Coan
Beneficiário:Alessandra Ike Coan
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia vegetal 

Resumo

Introdução e Objetivos. Anthurium é o maior gênero de Araceae, com 950 espécies distribuídas nos neotrópicos. Apesar da grande diversidade encontrada no gênero, o conhecimento da sua vascularização floral é baseado em observações de apenas duas espécies, A. denudatum e A. lhotzkyanum, com notáveis variações no suprimento vascular carpelar: os carpelos podem ser vascularizados apenas por feixes ventrais ou por estes acrescidos de feixes dorsais reduzidos. Nosso principal objetivo foi testar essa variação peculiar através de uma estudo anatômico detalhada da vascularização floral de táxons pertencentes a algumas seções de Anthurium, designadas como grupos monofiléticos nas filogenias recentes. Métodos. Nós comparamos a vascularização floral de 20 espécies neotropicais pertencentes a seções distintas de Anthurium, através de microscopias de luz e confocal de varredura a laser. Resultados. O número e a posição dos feixes vasculares são constantes dentre as tépalas e estames, independente das espécies ou seções estudadas. Entretanto, a vascularização do gineceu exibe variação entre espécies pertencente a uma mesma seção ou distinta. Nossos resultados revelam dois padrões de vascularização: carpelos vascularizados apenas por feixes sinlaterais (Padrão A) e carpelos vascularizados por ambos feixes dorsais e sinlaterais (Padrão B). O Padrão A é compartilhado pela maioria das espécies aqui estudadas e corrobora com os dados prévios da literatura. O Padrão B ocorre em três espécies: A. affine (Anthurium sect. Pachyneurium series Pachyneurium), A. obtusum e A. scandens (Anthurium sect. Tetraspermium), descrito pela primeira vez para o gênero.Conclusões. A variação no suprimento vascular dos carpelos em Anthurium é corroborada aqui. No entanto, nossos resultados, adicionados aqueles da literatura, sugerem a existência de três padrões (A, B e C) de vascularização carpelar no gênero. Com base na filogenia recente de Anthurium é possível observar que esses três padrões de vascularização carpelar ocorre em representantes do Clado B e necessitam de maiores investigações num número maior de espécies. O Padrão A pode ser uma plesiomorfia no gênero, enquanto que a ocorrência de feixes dorsais pode ser um caráter derivado. Nossos dados contribuem para a taxonomia e a compreensão da evolução floral deste grande gênero neotropical de Araceae. (AU)