Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade genômica dos nativos americanos

Resumo

As populações nativas americanas são o grupo humano menos estudado da atualidade no que se refere a sua variabilidade genética. Embora estudos com varredura genômica tenham ajudado a melhor conhecer as populações nativas da América, as plataformas de genotipagem dessa técnica são baseadas na variação já descrita de populações africanas, asiáticas e europeias, não levando em consideração a variabilidade nativo americana, justamente pela falta de genomas de referência a serem usados. Essa falta de informação tem grandes implicações em estudos médicos, dado que a maioria dos grandes estudos de caso-controle conduzidos hoje utilizam plataformas convencionais de varredura genômica que não são adequadas para ensaios em populações que apresentem grande componente nativo americano, como é o caso de países como México, Peru e algumas regiões do Brasil. O mais abrangente projeto de genomas humanos (The 1000 Genomes Project) não inclui nem prevê o estudo de populações nativo americanas, aumentando ainda mais a negligência do ponto de vista genético na geração de informação sobre esses povos. O presente projeto se propõe a preencher essa lacuna, visando o sequenciamento de 65 genomas completos de indivíduos de populações nativo americanas, a fim de desvendar a variabilidade genômica total dessas populações, estabelecer os processos evolutivos envolvidos na geração e manutenção dessa diversidade e auxiliar na criação de métodos de alta-fidelidade para estudos clínicos envolvendo populações miscigenadas e nativo americanas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisa pode encontrar novas mutações associadas à narcolepsia 
Una investigación puede llevar a hallar nuevas mutaciones asociadas a la narcolepsia 
Research could find new mutations associated with narcolepsy 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Filhos de <em>Ypykuéra</em> 
Los últimos tupiniquines 
Os últimos Tupiniquim 
Cuando había indígenas en Lagoa Santa 
Cuando había indígenas en Lagoa Santa 
Uma adaptação singular às alturas 
Uma adaptação singular às alturas 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (7 total):
Mais itensMenos itens
Folha de S. Paulo: Cientistas mapeiam rotas de 2.000 anos de índios no Brasil (15/Jan/2020)
O Globo: Retrato do Brasil visto por Cabral (14/Jan/2020)
Folha.com: A partir do DNA, cientistas mapeiam 2.000 anos de rotas migratórias dos índios no Brasil (13/Jan/2020)
O Globo online: DNA indica que tupiniquins são descendentes do grupo indígena que Cabral encontrou (13/Jan/2020)
Planeta online: Genes de povos da Ásia e da Oceania estão em índios da América do Sul (23/Abr/2021)
Press From Brasil (EUA): Genes de povos da Ásia e da Oceania estão em índios da América do Sul (23/Abr/2021)
Aventuras na Historia Online: Como uma pesquisa identificou traços de DNA aborígenes australianos em indígenas brasileiros (27/Abr/2021)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CASTRO E SILVA, MARCOS ARAUJO; NUNES, KELLY; LEMES, RENAN BARBOSA; MAS-SANDOVAL, ALEX; GUERRA AMORIM, CARLOS EDUARDO; KRIEGER, JOSE EDUARDO; MILL, JOSE GERALDO; SALZANO, FRANCISCO MAURO; BORTOLINI, MARIA CATIRA; PEREIRA, ALEXANDRE DA COSTA; COMAS, DAVID; HUNEMEIER, TABITA. Genomic insight into the origins and dispersal of the Brazilian coastal natives. PROCEEDINGS OF THE NATIONAL ACADEMY OF SCIENCES OF THE UNITED STATES OF AMERICA, v. 117, n. 5, p. 2372-2377, FEB 4 2020. Citações Web of Science: 0.
JACOVAS, VANESSA C.; COUTO-SILVA, CAINA M.; NUNES, KELLY; LEMES, RENAN B.; DE OLIVEIRA, MARCELO Z.; SALZANO, FRANCISCO M.; BORTOLINI, MARIA CATIRA; HUNEMEIER, TABITA. Selection scan reveals three new loci related to high altitude adaptation in Native Andeans. SCIENTIFIC REPORTS, v. 8, AUG 24 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.