Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistema IoT para aquisição de dados urbanos: gestão de vagas de estacionamento público/privado

Processo: 16/10192-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2017 - 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Colaborou com o Tema: Informática de Municípios Associados (IMA)
Pesquisador responsável:Alexandre Capucho
Beneficiário:Alexandre Capucho
Empresa:Innowatt Desenvolvimento e Serviços Ltda
Município: Sertãozinho
Pesq. associados: Wender de Souza Rodrigues
Bolsa(s) vinculada(s):18/00062-0 - Sistema IoT para aquisição de dados urbanos: gestão de vagas de estacionamento público/privado, BP.TT
Assunto(s):Internet das coisas  Cidades inteligentes  Ciência de dados  Big data  Wireless  Circuitos eletrônicos  Internet  Sistema de aquisição de dados  Sensores  Iluminação 

Resumo

Segundo dados oficiais do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN, 2016), em março de 2016, a frota brasileira era de mais de 91 milhões de veículos, sendo a cidade de São Paulo responsável por 8,3% deste total. O crescimento deste número ano a ano, tem provocado reflexões a respeito da disponibilidade de vagas de estacionamento nas áreas urbanas. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET, 2016), da cidade de São Paulo opera 39.249 vagas em áreas de estacionamento rotativo pago, conhecidas como Zona Azul, que mesmo somadas às vagas oferecidas por estacionamentos privados, têm enormes dificuldades para atender às demandas da cidade. Este cenário tem provocado um aumento no tempo gasto pelos cidadãos a procura de vagas de estacionamento, o que impacta negativamente a sua qualidade de vida. O aumento no tempo de circulação de veículos também provoca aumento no consumo de combustíveis, que provoca danos ao meio ambiente. Outro problema, diz respeito ao pagamento das taxas de estacionamento rotativo. Os cartões são vendidos apenas em alguns postos e muitas vezes o motorista não consegue ir até o ponto de venda e acaba recorrendo a vendedores clandestinos. Muitas vezes estes motoristas são vítimas de golpes, comprando cartões falsificados. Tendo em vista estes problemas, a aplicação do conceito de Internet das Coisas possibilita o desenvolvimento de tecnologias que facilitem a busca por vagas e o pagamento das taxas de estacionamento. Neste sentido, este projeto propõe o desenvolvimento de hardware e software para o monitoramento em tempo real da disponibilidade de vagas em regiões de Zona Azul e em estacionamentos privados. O projeto consiste em um sistema de coleta de dados que recebe informações de sensores de estacionamento instalados nas vagas e de um aplicativo através do qual é possível fazer a consulta das vagas disponíveis na região de interesse e posterior pagamento da taxa através de cartão de crédito. No caso de estacionamentos privados, o sistema possibilitará também a reserva de vagas. É importante notar que o sistema é composto de três partes, os sensores de estacionamento, o concentrador de dados com conexão a internet e o software. A princípio, qualquer tipo de sensor poderá utilizar o serviço de conectividade disponibilizado através dos concentradores, possibilitando que outros fornecedores de soluções para cidades inteligentes utilizem o serviço de conectividade oferecido pela Innowatt. Estes fornecedores poderão desenvolver sensores de medição de temperatura, umidade, qualidade do ar e utilizar a mesma rede utilizada pelos sensores de estacionamento para enviar seus dados para a Internet. Todo o software e o hardware, incluindo os sensores de estacionamento e concentradores de dados serão desenvolvidos pela Innowatt Desenvolvimento e Serviços Ltda. Possibilitando a nacionalização da tecnologia de hardware para sensores de estacionamento existente em outros países. O desenvolvimento deste sistema trará benefícios à população que gastará menos tempo circulando a procura de vagas, melhorando sua qualidade de vida. Trará benefícios ao meio ambiente pela redução da emissão de gases poluentes. Possibilitará ao poder público ter um melhor controle na gestão das áreas de estacionamento rotativo, possibilitando um planejamento mais preciso das políticas públicas de mobilidade urbana. E, em última análise, contribuirá para o desenvolvimento de tecnologia nacional, principalmente relacionada hardware, ajudando o país a se tornar exportador de tecnologia de ponta. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Projeto PIPE abre cinco vagas para treinamento técnico