Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e padronização de sistemas poliméricos micro e nanoparticulados contendo extrato vegetal de Baccharis dracunculifolia para aplicação como antimicrobiano em produtos para agricultura orgânica e saúde animal

Processo: 16/14576-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Daniela Sicci Del Lama
Beneficiário:Daniela Sicci Del Lama
Empresa:Ciclo Farma Indústria Química Eireli
Município: Serrana
Pesq. associados:Hernane da Silva Barud ; Luis Alexandre Pedro de Freitas
Bolsa(s) vinculada(s):17/16533-9 - Preparação de nanopartículas poliméricas preparadas a partir de polímeros compatíveis e de baixo custo e posteriormente secas por spray dryer e liofilização, BP.TT
17/16360-7 - Caracterização das nanopartículas poliméricas contendo o extrato vegetal Baccharis dracunculifolia, BP.TT
17/16362-0 - Avaliar a eficácia antimicrobiana dos sistemas poliméricos nanoparticulados contendo o extrato vegetal de Baccharis dracunculifolia em microrganismos importantes na área da saúde animal, agricultura orgânica e meios conservantes para cosméticos, BP.TT
Assunto(s):Biotecnologia  Extratos vegetais  Nanopartículas  Baccharis dracunculifolia  Apis mellifica  Spray drying  Agricultura orgânica  Saúde animal 

Resumo

A Baccharis dracunculifolia é conhecida popularmente como alecrim do campo. Devido à ampla diversidade de metabólitos secundários, essa planta é bastante conhecida por sua interação com insetos, especialmente Apis mellifera L., que por meio de, produz à própolis verde. Em estudos realizados na Ciclo Farma, foram produzidos extratos brutos de Baccharis dracunculifolia testados em diferentes diluições, utilizando veículo padrão, avaliados quanto ao seu potencial antimicrobiano, para o desenvolvimento de produtos com ação desinfetante. Foi comprovada a eficácia do produto em desenvolvimento para os microrganismos Salmonella choleraesuis, Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli, Candida albicans e Acinetobacter baumanni, de acordo com metodologia AOAC 19°. Ed./2012, Cap. 6.2.01, método 955.14 em um tempo de contato muito reduzido quando comparado aos ativos químicos presentes no mercado de saneantes hospitalares. O departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Ciclo Farma, a partir deste ativo desenvolveu e padronizou um desinfetante hospitalar e um antisséptico, registrados na ANVISA. Os dois produtos apresentaram - se eficientes como bactericida, bacteriostático e fungiostático e viáveis economicamente, para o mercado a que se propôs. Entretanto, o extrato bruto de B. dracunculifolia, tem baixa solubilidade em meio aquoso, caráter lipossolúvel, odor e cor muito marcantes, dificultando a sua veiculação em algumas formas farmacêuticas, além de conferir ao desinfetante e ao antisséptico odor muito marcante de própolis verde. Uma opção para se contornar esta dificuldade seria o uso de micro e ou nanopartículas para o aumento da solubilidade do extrato de B. dracunculifolia em meio aquoso e a melhora de suas características organolépticas, contribuindo para o futuro deste ativo, como antimicrobiano, abrindo novos mercados para a Ciclo Farma como fabricante deste insumo e dos produtos hospitalares anteriormente desenvolvidos com este ativo vegetal. Assim esta proposta pretende desenvolver sistemas poliméricos micro e ou nanoparticulados contendo o ativo Baccharis dracunculifolia, com propriedades adequadas para aplicações especificas onde, a solubilidade em água e a ausência de cor e odor do ativo sejam requeridas. Especificamente esta proposta tem como objetivo desenvolver sistemas poliméricos micro e ou nanoparticulados a partir de matérias-primas de baixo valor de mercado, compatíveis quimicamente com o extrato vegetal e de elevada estabilidade química, para serem aplicadas na fabricação de produtos para uso nos setores de saúde animal como aditivos e promotores de crescimento e na agricultura orgânica. As micro e ou nanopartículas poliméricas contendo o extrato vegetal serão caracterizadas na forma seca, após secagem por Spray Dryer ou Liofilização. Os métodos de caracterização físico-química incluem Microscopia Eletrônica de Varredura, Espectroscopia no Infravermelho, Difração de raios-X, Analises térmicas (TG e DSC). Tais técnicas serão aplicadas para avaliar a qualidade das nanopartículas com BD. A presença dos compostos químicos do extrato vegetal no sistema micro ou nanoparticulado será realizada por HPLC. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.