Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel das proteínas SOCS e STAT na diferenciação das células TCD4+ naive no desenvolvimento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) em pacientes fumantes e em modelo experimental de exposição à fumaça de cigarro

Processo: 16/17817-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernanda Degobbi Tenorio Quirino dos Santos Lopes
Beneficiário:Fernanda Degobbi Tenorio Quirino dos Santos Lopes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Carla Máximo Prado ; Elnara Marcia Negri ; Rodolfo de Paula Vieira
Assunto(s):Pneumologia  Fumantes  Doença pulmonar obstrutiva crônica  Peptídeos e proteínas de sinalização intracelular  Linfócitos T CD4-positivos  Interleucinas  Interferons  Linfócitos T reguladores 

Resumo

Em estudo prévio desenvolvido por nosso grupo, demonstramos que indivíduos fumantes DPOC comparados aos fumantes sem obstrução apresentam diminuição tanto da densidade de células T regulatórias (Treg) quanto de células positivas para suas interleucinas imunossupressoras TGF beta e IL-10; também foi detectado aumento da densidade de células positivas para IL-17, caracterizando um perfil de resposta TH17 nestes indivíduos. Considerando o papel das proteínas intracelulares STAT (do inglês "Activator of Transcription Protein") e SOCS (do inglês "Supressor Of Cytokine Signaling") na diferenciação das células TCD4+ naive em seus subtipos TH17 e Treg Objetivo: Pretendemos neste estudo avaliar os mecanismos envolvidos na diferenciação das células TCD4+ naive para os subtipos Th17, TH1 e Treg considerando o papel das proteínas STAT e SOCS na DPOC. Faremos as avaliações em tecidos e amostras de plasma de pacientes e em modelo experimental, o que também nos possibilitará avaliar quanto o modelo experimental reflete o observado em humanos Métodos: Protocolo 1: Serão estudados indivíduos submetidos à ressecção pulmonar por tumor metastático primário, divididos em dois grupos: Fumantes Obstrutivos e Fumantes Não Obstrutivos. Protocolo 2: Para a indução do enfisema pulmonar, camundongos serão expostos à fumaça de cigarro durante 3 e 6 meses, e os animais controle permanecerão expostos ao ar ambiente. Para ambos os protocolos, avaliaremos no pulmão e plasma sanguíneo as interleucinas -6,-10, - 17 e, TGF-² e IFN-³ para verificar resposta sistêmica e local. Ainda nos pulmões serão avaliados células positivas para IL-17 (perfil TH17), IFN-³ (perfil TH1) e Treg; e por dupla marcação para as STAT e SOCS (STAT 1, 3 e 5 totais e fosforiladas e SOCS 1 e 3). Faremos uma análise quantitativa por immunoblotting de STAT 1, 3 e 5 totais e fosforiladas e SOCS 1 e 3. Através de PCR em tempo real avaliaremos a expressão gênica para STAT 1, 3 e 5; SOCS1 e 3 em tecido e plasma dos indivíduos do protocolo 1. (AU)