Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de fertilizante organomineral nitrogenado a partir de finos de carvão vegetaltrango

Processo: 16/08114-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de julho de 2017 - 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Processamento de Produtos Agrícolas
Pesquisador responsável:Braulio Garcia Pereira Neto
Beneficiário:Braulio Garcia Pereira Neto
Empresa:Carbosolo Desenvolvimento Agrícola Ltda
Município: São Paulo
Pesq. associados:Aline Peregrina Puga ; Cristiano Alberto de Andrade ; Nilce Ortiz
Auxílios(s) vinculado(s):18/17194-6 - Desenvolvimento de fertilizante organomineral NPK a base de biocarvão, AP.PIPE
Assunto(s):Condicionadores do solo  Fertilidade do solo  Fertilizantes nitrogenados  Carvão vegetal  Biocarvão  Altos fornos  Resíduos sólidos 

Resumo

O Brasil é o único país do mundo que usa carvão vegetal em grande escala em altos-fornos de produção de aço. Do total de carvão produzido são gerados aproximadamente 15% de finos de carvão como resíduo. O uso de material carbonizado na agricultura passou a ser promissor para melhoria da fertilidade dos solos agrícolas e por estar associado a relevantes questões ambientais como o sequestro de carbono e a redução da emissão de óxido nitroso para a atmosfera, além do reaproveitamento do resíduo. O desenvolvimento de processos que permitam transformar o carvão (biocarvão) e seus subprodutos em compostos com características apropriadas para o uso como condicionadores do solo e fertilizantes é altamente desejável. O fino de carvão na composição de um fertilizante organomineral, por exemplo, representa inovação e solução tecnológica de fertilizantes sob o ponto de vista econômico como também ambiental. Nesse contexto, o objetivo desse projeto é avaliar técnico e cientificamente a produção de fertilizante organomineral por meio do enriquecimento dos finos de carvão vegetal com nitrogênio. A pesquisa será desenvolvida em etapas, partindo-se do processo de granulação dos fertilizantes, evoluindo para a definição da composição e determinando a liberação do nutriente a partir dos grânulos. Os experimentos e testes serão conduzidos nos laboratórios da Carbosolo, de empresas parceiras do CIETEC e da EMBRAPA Meio Ambiente. O processo de produção do fertilizante será realizado por via úmida através de prato granulador. Serão verificadas as seguintes variáveis do processo: velocidade de rotação e carga do prato granulador; granulometria e textura das matérias-primas; teor de umidade das matérias-primas; concentração do ligante na solução líquida e volume de solução adicionado; e umidade do biocarvão. Na composição dos fertilizantes serão testados os seguintes parâmetros: concentração de biocarvão, tipo e concentração de aditivo e concentração e fonte de nitrogênio. A avaliação da liberação de nitrogênio dos fertilizantes será realizada pelo método do béquer através da análise da solução em diferentes tempos. Serão determinados: pH, condutividade elétrica e concentração de nitrogênio. Os resultados desse projeto permitirão definir aspectos fundamentais acerca do processo de produção de fertilizantes a base de biocarvão. Todas as avaliações preliminares obtidas servirão de alicerce para a continuação do desenvolvimento dos produtos (Fase 2/PIPE) permitindo-se alcançar produtos com parâmetros de qualidade exigidos pelo MAPA para futuro registro e comercialização, apresentando também viabilidade econômica. (AU)