Busca avançada
Ano de início
Entree

Temperamento de bovinos cruzados das raças Angus Nelore e sua relação com nível de estresse ao manejo e desempenho

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar as relações entre a reatividade ao manejo, avaliada por três métodos, o nível de estresse e o desempenho de bovinos cruzados das raças Angus Nelore. Será registrado, durante a pesagem mensal dos animais, o temperamento, através dos testes Escore de Reatividade no Tronco (ER), Velocidade de Fuga (FS) e Avaliação Qualitativa do Comportamento (QBA), além da colheita de sangue para determinação da concentração de cortisol sérico. Serão utilizados 320 bovinos machos inteiros filhos de cruzamento entre touros Angus e vacas Nelore, com peso vivo inicial médio de 325 kg e idade média de 17 meses, alojados em 8 currais de confinamento, com área de 800 m2 cada, disponibilizando 20 m2 de área livre, 6 m2 de sombreamento artificial e 50 cm lineares de cocho de alimentação por animal, durante 130 dias de confinamento coletivo. Adicionalmente será avaliado o comportamento social dos bovinos durante 72 horas contínuas, buscando analisar a hierarquia de cada grupo e sua possível relação com a reatividade dos indivíduos. O ganho diário médio de peso e a qualidade de carcaça e da carne serão registrados para detectar possíveis influências do temperamento no desempenho. Os dados de cortisol e desempenho serão processados por um modelo ajustado a partir da teoria de modelos lineares generalizados através do GENMOD do SAS, considerando os efeitos de tempo de confinamento (0, 28, 56, 84, 112 dias) e de animais como medida repetida. Para avaliação do comportamento diário e de hierarquia serão considerados os efeitos de dias de avaliação, horários, lote e suas interações. Ao final, correlações de Spearman serão realizadas entre os parâmetros de reatividade, cortisol e desempenho. (AU)