Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese de inibidores peptídicos: uma estratégia para melhoria do soro antibotrópico produzido pelo Instituto Butantan

Processo: 17/04321-7
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2017 - 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Sonia Aparecida de Andrade Chudzinski
Beneficiário:Sonia Aparecida de Andrade Chudzinski
Instituição Sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesquisadores associados:Fernanda Calheta Vieira Portaro ; Francisco Humberto de Abreu Maffei ; Montserrat Heras Corominas
Assunto(s):Antivenenos  Inibidores de proteases  Serina proteases  Mordeduras de serpentes  Bothrops  Hemorragia  Qualidade de vida 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Acidentes ofídicos | desordens da coagulação | Qualidade De Vida | Saúde Pública | sintese de inibidores | soros antivenenos | Melhoria de Soros Antivenenos

Resumo

O ofidismo consiste em um importante problema de saúde pública no Brasil e em diversos países em virtude de sua grande frequência e gravidade. No mundo ocorrem cerca de 5,5 milhões de acidentes, 400.000 amputações e até 125.000 mortes por ano. No Brasil, o envenenamento por Bothrops é responsável por 90% das picadas de serpentes e esse índice chega em 97,5% nos pacientes tratados no Hospital Vital Brazil (IBu). As manifestações sistêmicas são caracterizadas principalmente por distúrbios na hemostasia, culminando em sangramentos. O mecanismo pelo qual a hemorragia é desencadeada ainda não está totalmente elucidado, mas atualmente sabe-se que além das metaloproteinases, há no veneno botrópico serinoproteinases, especialmente enzimas trombina-símiles que hidrolisam o fibrinogênio exclusivamente na cadeia alfa e não ativam o fator XIII, formando uma rede de fibrina mais instável e susceptível a ação do sistema fibrinolítico, contribuindo assim para o agravamento do quadro hemorrágico. Atualmente o tratamento contra picadas de serpentes é a soroterapia com antiveneno botrópico poliespecífico produzido pelo Instituto Butantan. Apesar de eficiente, e apresentar boa neutralização das metaloproteinases presentes no veneno, o soro não neutraliza algumas serinoproteinases responsáveis pelas desordens da coagulação sanguínea. Dentre essas serinoproteinases estão as enzimas trombina-símiles. Portanto, esse projeto visa desenhar, sintetizar inibidores peptídicos para as enzimas trombina-símiles, que não são neutralizadas pelo antiveneno produzido pelo Instituto Butantan, e que são corresponsáveis pelas desordens da coagulação. A adição desses inibidores peptídicos ao antiveneno aumentará a eficácia do mesmo, melhorando o quadro clínico dos pacientes acidentados e minimizando o número de amputações e de mortes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GLORIA MARIA DA SILVA; DANIEL HENRIQUE BERTO DE SOUZA; KAROLINE B. WAITMAN; MATTEO CELANO EBRAM; MELISSA R. FESSEL; IULIU CEZAR ZAINESCU; FERNANDA C. PORTARO; MONTSE HERAS; SONIA A. DE ANDRADE. Design, synthesis, and evaluation of Bothrops venom serine protease peptidic inhibitors. Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases, v. 27, . (13/07467-1, 17/04321-7)
SILVA, G. M.; BERTO, D. H.; LIMA, C. A.; WAITMAN, K. B.; LIMA, C. F. G.; PREZOTO, B. C.; VIEIRA, M. L.; ROCHA, M. M. T.; GONCALVES, L. R. C.; ANDRADE, S. A.. Synergistic effect of serine protease inhibitors and a bothropic antivenom in reducing local hemorrhage and coagulopathy caused by Bothrops jararaca venom. Toxicon, v. 199, p. 87-93, . (17/00236-5, 13/07467-1, 17/04321-7)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.