Busca avançada
Ano de início
Entree

Natureza e Imanência: o Sistema da Natureza de Holbach

Processo: 17/05011-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de junho de 2017 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Jacira de Freitas
Beneficiário:Jacira de Freitas
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Assunto(s):Natureza  Moral  Metafísica  Materialismo 

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar uma leitura do Sistema da Natureza do barão de Holbach, que expõe dois movimentos implícitos na construção da obra. Primeiramente, há uma crítica à filosofia tradicional que é, segundo o autor, orientada por conceitos abstratos e transcendentes, o que leva a uma visão equivocada da Natureza e ao estabelecimento de princípios de uma moral ineficiente para regular a conduta dos homens. Num segundo momento, analisar-se-á propriamente seu sistema filosófico, o materialismo, em que é apresentada uma visão da Natureza, a qual seria regida por leis invariáveis devido aos seus atributos empíricos. Nessa mesma perspectiva, é apresentada a natureza do homem, a partir dessa essência natural e material, diferente daquela apresentada pela filosofia tradicional, em que ela é cindida em uma parte espiritual e outra corpórea. Essa proposta filosófica busca, assim, através de um diálogo com as ciências em desenvolvimento no século XVIII, estabelecer os princípios de uma moral naturalista, que esteja em acordo com essa organização da Natureza. Desse modo, pretende-se ressaltar a importância do barão de Holbach como filósofo iluminista, representante de um movimento crítico e também ousado, que buscou estabelecer novos paradigmas para a filosofia e para a moral. (AU)