Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do fucoidam de Fucus vesiculosus sobre a morfologia, a ploidia e o metabolismo do endotélio corneal de coelhos

Processo: 17/02906-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2017 - 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:José Luiz Laus
Beneficiário:José Luiz Laus
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados:Marcela Aldrovani Rodrigues
Assunto(s):Oftalmologia veterinária  Córnea  Epitélio posterior  Ploidias  Proliferação celular  Fucoidan  Fucus vesiculosus 

Resumo

A córnea atua como principal elemento refrativo do olho. O tecido corneal é transparente por apresentar características como ausência de vasos sanguíneos no epitélio, espaçamento e organização regulares de fibras colágenas estromais e pelas funções de bomba e de barreira exercidas pelo endotélio. Lesões endoteliais constituem uma importante indicação de transplante da córnea, uma vez que as células endoteliais corneais apresentam limitada capacidade proliferativa. Entretanto, transplantes são procedimentos cirúrgicos complicados e de elevado custo, cujo sucesso depende diretamente da biocompatilidade doador-receptor, da preservação da córnea doada, da higidez das córneas doada e receptora e da resposta inflamatória e imunológica do paciente. Tentativas de tratamentos clínicos têm sido estudadas, todavia nenhuma terapia médica foi aprovada para a prática na clinica. O grupo de estudos em Oftalmologia Veterinária da Unesp de Jaboticabal desenvolveu estudo acerca dos efeitos do fucoidam, um polissacarídeo extraído de algas marinhas, sobre células ex vivo do epitélio corneal, observando que ele promove proliferação e migração celular. Visando-se a expandir aplicações, objetiva-se, com a presente proposta, avaliar os efeitos do fucoidam sobre a morfologia, a ploidia e o metabolismo do endotélio corneal intacto e após indução de crio-lesão. Para tal serão realizadas avaliações por biomicroscopia, paquimetria ultrassônica, microscopia especular, histopatologia, imuno-histoquímica, topoquímica e vídeo-análise de imagens para quantificação dos níveis de ploidia e microscopia eletrônica de transmissão. (AU)