Busca avançada
Ano de início
Entree

Prospecção e avaliação dos recursos genéticos de ostras em áreas de manguezais na costa Sudeste do Brasil

Processo: 16/16108-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros Marinhos
Pesquisador responsável:Márcia Santos Nunes Galvão
Beneficiário:Márcia Santos Nunes Galvão
Instituição-sede: Instituto de Pesca. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Alexandre Wagner Silva Hilsdorf ; Fernando Stopato da Fonseca ; Helcio Luis de Almeida Marques
Assunto(s):Ostra  Recursos genéticos  Diversidade genética  Repetições de microssatélites  Sequenciamento de nova geração  Código de barras de DNA taxonômico 

Resumo

Para a preservação e o uso eficaz dos recursos genéticos aquícolas é necessário conhecer o status taxonômico das espécies e como a diversidade genética está distribuída entre as populações. Com esta pesquisa pretende-se identificar as espécies nativas e exóticas de ostras em áreas de manguezal no sudeste do Brasil, isolar e caracterizar um grande número de locos SSR e conhecer a diversidade genética de C. brasiliana. Para a identificação das espécies em diferentes pontos da costa sudeste do Brasil será utilizado o DNA barcode, baseado em um fragmento do gene mitocondrial citocromo c oxidase subunidade 1 (COI). Tendo em vista a importância econômica da ostra Crassostrea brasiliana, marcadores microssatélites (SSR) serão desenvolvidos a partir de sequenciamento de nova geração (NGS), utilizando a plataforma Illumina. Após a validação dos iniciadores, será feita a análise de polimorfismo. Em seguida, os SSR serão usados para avaliar a diversidade e a estrutura genética de populações naturais da ostra C. brasiliana. Cerca de 250 indivíduos serão analisados, oriundos de cinco estuários situados nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. A genotipagem das amostras será realizada em um sequenciador automático 4300 DNA Analyser Li-Cor. A estrutura genética será determinada pela estatística F, utilizando a análise de distância par a par e AMOVA. Para verificar a existência de associação entre a distância genética e a distância geográfica, será realizado o teste de Mantel com base no programa Genepop v. 1.2. As taxas de fluxo gênico entre as diferentes localidades serão estimadas pela abordagem coalescente de máxima probabilidade no programa Migrate-N. Este estudo poderá fornecer bases para futuros programas de larvicultura associados ao melhoramento genético. (AU)