Busca avançada
Ano de início
Entree

Telha Sanduíche Cultivável: um novo sistema para telhados verdes que não demanda impermeabilização e coloca o mercado de telhas na mira da sustentabilidade

Processo: 16/10264-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de março de 2017 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Floricultura, Parques e Jardins
Convênio/Acordo: FINEP - PIPE/PAPPE Subvenção
Colaborou com o Tema: Informática de Municípios Associados (IMA)
Pesquisador responsável:Sérgio Fausto Rizzi Rocha
Beneficiário:Sérgio Fausto Rizzi Rocha
Empresa:Instituto Cidade Jardim Ltda. - ME
Município: Itu
Assunto(s):Agricultura urbana  Agricultura sustentável  Sustentabilidade  Cultivo de plantas  Hidroponia  Coberturas  Telhas 

Resumo

Telhados verdes são sistemas vivos que permitem o cultivo de plantas sobre coberturas de edificações. São uma das principais tendências da arquitetura contemporânea, sendo que o crescimento deste mercado vem sendo promovido em todo o mundo como tecnologia de impacto, por sua capacidade para promover a redução de enchentes, redução de consumo de energia elétrica, melhoria na qualidade do ar, isolamento acústico, agricultura urbana, e melhoras no estilo e qualidade de vida. Entretanto, todos os sistemas para telhados verdes existentes no mercado (global) tem uma característica em comum: dependem de uma base de apoio estanque, estruturalmente adequada para sua aplicação - de forma geral, uma laje com camada impermeabilizante. Isso significa que, apesar da grande quantidade de serviços ambientais oferecidos, a maior parte das construções do planeta não podem receber um telhado verde basicamente por uma questão de inadequação tecnológica e seus custos decorrentes - telhas de barro e fibrocimento (84% do mercado nacional) absorvem água e ficam quebradiças quando úmidas, inviabilizando o caminhamento de pessoal para a manutenção e a instalação segura de telhados verdes. Além disso, é preciso adicionar o custo extra dos componentes do telhado verde, hoje estimados na faixa de R$250/m2, aos investimentos na estrutura de suporte (madeiramento ou metálico) e telhas. Apenas para se comparar, uma telha termo-acústica sanduíche - top de linha no mercado, custa em torno de R$70/m2. No Brasil, 97% do mercado de coberturas corresponde a venda de produtos mais populares como telhas de fibrocimento, barro ou metálicas. Por este motivo o impacto das coberturas verdes ainda é muito pequeno, se disseminando de forma restrita dentro de nichos inseridos em uma parcela de apenas 1% do mercado de coberturas - essencialmente empreendimentos corporativos e residenciais classe AAA. Tendo em vista que os telhados verdes apenas cumprem com seu potencial de impacto quando aplicados em grande escala, desde 2008 o Instituto Cidade Jardim assumiu a missão de tornar os telhados verdes mais populares que as coberturas secas tradicionais, com o objetivo de transformar nossas cidades a partir de seus telhados. Para isso, há 8 anos vem atuando como pioneiro neste mercado no Brasil, contribuindo com cerca de 10.000 m2/ano de telhados verdes instalados junto aos principais escritórios de arquitetura, paisagismo e empreendimentos de engenharia do país. Com base neste desafio e em nossa experiência, logo desenvolvemos a convicção de que o mercado precisava de um produto único, com habilidade para derrubar estas objeções e, se possível, familiar ao modo de trabalho da construção civil. Após diversas experimentações, em 2012 obtivemos o registro da "Telha Sanduíche Cultivável" - primeiro sistema para telhado verde estanque do mundo (que dispensa impermeabilização) e pode ser aplicado a qualquer edificação como uma telha convencional. Este novo sistema permite o cultivo a maior parte das espécies ornamentais (forrações, capins, herbáceas), além de aplicações agrícolas como o cultivo de folhagens, legumes e grãos, podendo ser utilizado nas mais diversas situações de clima. Os potenciais são enormes. Por isso acreditamos que a forma mais rápida, de menor investimento e maior abrangência de distribuição para acessar o mercado, seja o licenciamento da patente para empresas que já atuem ou tenham interesse no mercado de soluções para telhados e coberturas. Precisamos encontrar parceiros com comprovada capacidade de produção, força e capilaridade comercial para que este produto possa rapidamente atingir seu potencial de impacto e transformação urbana. O programa de pesquisa e desenvolvimento proposto irá lapidar as características técnicas e industriais desta inovação, preparando-a comercialmente para lançamento e obtenção de escala no mercado. (AU)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Startup desenvolve telha hidropônica para cultivo de plantas ou alimentos  
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (9 total):
Mais itensMenos itens
Agriculture in the city: the healthy trend of Farm Techs in Brazil 
Agrônomo brasileiro cria primeira telha hidropônica do mundo 
Teja hidropónica 
Brasileiro cria telha hidropônica 
Première tuile de culture hydroponique créée par un agronome brésilien 
Primeira telha hidropônica para cultivo é criada por agrônomo brasileiro 
Brasileiro cria primeira telha hidropônica para cultivo 
Ingeniero brasileño diseña la primera teja hidropónica del mundo 
Startup desenvolve telha hidropônica para cultivo de plantas ou alimentos