Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise das proteínas do relógio no eixo hipotálamo-hipófise-gônadas e a relação com a senescência reprodutiva feminina

Processo: 17/00352-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Rita Cássia Menegati Dornelles
Beneficiário:Rita Cássia Menegati Dornelles
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesq. associados:Cristiane Mota Leite ; Maristela de Oliveira Poletini
Assunto(s):Neuroendocrinologia  Fisiologia endócrina  Sistema hipotálamo-hipofisário  Hipotálamo  Esteroides  Ritmo circadiano  Envelhecimento  Relógios biológicos 

Resumo

O envelhecimento é resultante de alterações funcionais e estruturais cumulativas, progressivas, intrínsecas e deletérias que geralmente começam a se manifestar na maturidade reprodutiva, embora sua gênese possa ter sido anterior. A função reprodutiva em organismos femininos é controlada tanto pelo eixo hipotálamo-hipófise-gônadas quanto pelo relógio biológico, ambos fundamentais para a deflagração do pico de GnRH/LH e ovulação. Os "genes do relógio", como Period (Per1 e Per2), fazem parte da maquinaria molecular do relógio biológico e interagem inibindo a transcrição dos genes Bmal1 e Clock, os quais estimulam a expressão dos primeiros, constituindo alça de retroalimentação que se autorregula. A expressão do gene Per 1 ocorre de maneira circadiana nos neurônios GnRH e a expressão de todos os cognatos dos genes de relógio foi detectada nos gonadodrofos hipofisários. Estudos dos anos 90 e início de 2000 demonstraram que a deterioração em funções hipotalâmicas é elemento crucial para o declínio reprodutivo e que a capacidade do relógio temporal circadiano do cérebro, na condução dos eventos neuroquímicos diurnos, é reduzida com o avanço da idade. Nossos estudos evidenciaram que durante o envelhecimento de ratas Wistar, no período de diestro persistente, o conteúdo de GnRH e noradrenalina se mantem reduzido e invariável nos horários analisados (10, 14 e 18 h) bem como a concentração plasmática de LH, quando comparado com o diestro em animais adultos. Entretanto, verificamos maior atividade dos neurônios noradrenérgicos da área pre-óptica (APO) e locus coeruleus (LC) e maiores e variáveis concentrações plasmáticas de estradiol e progesterona nos animais mais velhos (NICOLA et al., 2016). Nossa proposta é analisar as proteínas do relógio no eixo hipotálamo-hipófise-gônadas e a possível correlação com a senescência reprodutiva, com o intuito de avaliarmos o envelhecimento através da medição de alterações nos traços fisiológicos e biomarcadores, importantes para o funcionamento normal. Serão estudados em ratas na periestropausa natural: 1- expressão do gene Kiss1 na APO e núcleo arqueado (ARC), PER1, ReverbA, BMAL1, no eixo HPG; 2- VIP e AVP no SCN durante o envelhecimento reprodutivo de fêmeas Wistar. Esta avaliação será realizada utilizando-se as técnicas de RT-PCR e qPCR para os genes-alvo e Western blotting para as proteínas cujos genes forem significantemente expressos. (AU)