Busca avançada
Ano de início
Entree

Força de interações ecológicas e a mediação ambiental em sistemas costeiros

Processo: 16/24551-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2017 - 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Ronaldo Adriano Christofoletti
Beneficiário:Ronaldo Adriano Christofoletti
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Pesq. associados:Aline Sbizera Martinez ; Aurea Maria Ciotti ; Michael Timothy Burrows ; Stuart Rees Jenkins
Bolsa(s) vinculada(s):18/17742-3 - Força de interações ecológicas e a mediação ambiental em sistemas costeiros, BP.TT
17/22713-0 - Força de interações ecológicas e a mediação ambiental em sistemas costeiros, BP.TT
Assunto(s):Ecologia marinha  Ecossistemas costeiros  Ecologia de comunidades  Adaptação ambiental  Redes ecológicas  Ecologia de interações  Predação 

Resumo

A força das interações ecológicas entre espécies é fundamental para a determinação da dinâmica de comunidades e do funcionamento dos ecossistemas. Em ambientes marinhos, a mediação ambiental da força das interações ecológicas pode ser influenciada por estresse térmico, ação de ondas, ressurgência, correntes oceânicas e outros fatores que podem atuar através de efeitos no nível populacional ou determinando a força das interações per capita. Entretanto, estes fatores emergem em diferentes escalas espaciais e têm sido um desafio para os ecólogos escalonar resultados de experimentos locais para o entendimento regional e de variação geográfica no contexto ambiental. Em um mundo com frequentes mudanças ambientais, o entendimento de como fatores ambientais em diversas escalas espaciais interagem e de como modificam tanto os parâmetros populacionais quanto a força das interações per capita torna-se necessário para que possamos desenvolver a capacidade preditiva e gerir ambientes naturais. Neste projeto propomos usar os costões rochosos na costa brasileira, dos Estados de São Paulo até Espírito Santo para testar se o efeito do gradiente latitudinal de temperatura na interação das espécies é modificado regionalmente pela ressurgência e outros fatores ambientais de meso-escala. Utilizaremos um sistema de presa-predador do entremarés, formado por cracas/mexilhões e gastrópodes para avaliar como parâmetros populacionais, como a abundância e tamanho dos indivíduos alteram em relação aos gradientes de temperatura, produtividade primária, recrutamento e exposição as ondas através de um estudo observacional com amostragem em larga escala. A interação entre presas e predadores será também avaliada pela transferência de matéria orgânica na cadeia trófica através de análises isotópicas. Além disso, experimentos em campo serão utilizados para avaliar a variação da força das interações per capita em escalas espaciais local e regional. Em escala local, será avaliada a importância relativa de fatores ambientais (por ex. exposição as ondas) e biológicos (por ex. densidade de presa) na força da interação entre os gastrópodes e mexilhões, enquanto em escala regional testaremos como a ressurgência modifica o gradiente latitudinal de temperatura. Com base nestes resultados, esperamos determinar como mudanças ambientais podem alterar as interações presa-predador na zona costeira. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Contaminação por metais pode aumentar estresse metabólico em moluscos 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (10 total):
Mais itensMenos itens
Pesquisa atribui urbanização a estresse em mexilhões no litoral paulista 
Urbanisation shown to directly affect heavy metals in mussels 
Contaminação por metais pode aumentar estresse metabólico em moluscos 
Contaminação por metais pode aumentar estresse metabólico em moluscos 
Contaminação por metais pode aumentar estresse metabólico em moluscos 
Contamination by metals can increase metabolic stress in mussels 
Contamination by metals can increase metabolic stress in mussels 
Contamination by metals can increase metabolic stress in mussels 
Contamination by metals can increase metabolic stress in mussels 
Contamination by metals can increase metabolic stress in mussels 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINEZ, ALINE S.; MAYER-PINTO, MARIANA; CHRISTOFOLETTI, RONALDO A. Functional responses of filter feeders increase with elevated metal contamination: Are these good or bad signs of environmental health?. Marine Pollution Bulletin, v. 149, DEC 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.