Busca avançada
Ano de início
Entree

Personagem de HQ e comunicação de interesse público

Resumo

Este projeto é um desmembramento da pesquisa "Personagem em Tatuagem: transposição das páginas das histórias em quadrinhos para o corpo humano", iniciada em fevereiro de 2015 com auxílio da FAPESP (Processo#2014/21537-5), que tem como principal objetivo estudar os aspectos de inovação que surgem com a transposição de figuras de personagens de histórias em quadrinhos para o corpo humano em forma de tatuagem. No percurso de tal pesquisa, por meio da revisão bibliográfica e do levantamento de campo, foi possível identificar formas de apropriações desse tipo de imagem em outras práticas culturais, como, por exemplo, em intervenções artísticas, manifestações políticas ou na moda. Tais imagens, que se originam no âmbito do setor produtivo e são protegidas por direito de uso, ao passarem por processos de apoderamento e ressignificação, servem para difusão de discursos de interesse político e público no ambiente urbano. Com base nesse pressuposto, interessa a esta pesquisa compreender as formas de apropriação desse tipo de signo, que estão relacionadas às práticas subversivas - reprodução, alteração e uso indevido de imagens protegidas por copyright -, e os intercâmbios de significados entre os personagens, as narrativas e discursos de interesse público. Ainda que tenham caráter subversivo, essas práticas revelam modos criativos de falar sobre a cidade e o cidadão. Partindo da hipótese de que o potencial de significação dessas manifestações é resultado da troca simbólica que se dá entre os sentidos originados nas narrativas seriadas (histórias em quadrinhos, desenhos animados, filmes cinematográficos, games), consolidados em produtos licenciados, e os significados gerados pelos discursos dos sujeitos que se apropriam de tais figuras, a pesquisa pretende responder à seguinte pergunta: Como as imagens de personagens de histórias em quadrinhos são apropriadas para difundir ideias de interesse público em ambientes urbanos? Considerando que tais signos carregam em si sentidos provenientes das narrativas seriadas e que as apropriações apresentam-se muitas vezes como textos abertos, pretende-se responder, ainda: Qual o potencial de significação desses textos no ambiente público? (AU)