Busca avançada
Ano de início
Entree

Cystic endometrial hyperplasia-pyometra syndrome in bitches: identification of hemodynamic, inflammatory, and cell proliferation changes

Processo: 17/16366-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Camila Infantosi Vannucchi
Beneficiário:Camila Infantosi Vannucchi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cadelas  Piometra  Fatores de crescimento do endotélio vascular 

Resumo

A síndrome hiperplasia endometrial cística (HEC) - piometra é umas das doenças mais comuns em cadelas não castradas. Entretanto, a determinação dos mecanismos etiológicos e diagnóstico diferencial da síndrome HEC-piometra ainda são indefinidos. O objetivo deste estudo é comparar a expressão imunoistoquímica do mediador inflamatório cicloxigenase-2 (COX-2), do antígeno marcador de proliferação Ki-67, do mediador de angiogênese fator de crescimento endotelial (VEGF-A) e seus receptores FLT-1 e KDR, e correlacionar com a dopplervelocimetria da artéria uterina e vascularização endometrial em cadelas com a síndrome HEC-piometra. As cadelas foram alocadas nos grupos HEC-mucometra (n = 13), grupo Piometra (n = 11) e grupo Controle (n = 8). O grupo Piometra apresentou maior intensidade de coloração citoplasmática para COX-2, VEGF-A, FLT-1 e KDR nas células do lúmen epitelial em comparação ao grupo HEC-mucometra e Controle. Para o epitélio glandular, o grupo Piometra apresentou maior escore de imunomarcação para VEGF-A e seus receptores FLT-1 e KDR. Os índices hemodinâmicos apresentaram correlação negativa com o VEGF-A e seus receptores, bem como com COX-2. Por outro lado, o escore de vascularização uterino apresentou correlação positiva com a imunomarcação para COX-2, VEGF-A, e receptores no epitélio luminal do endométrio. Em conclusão, o útero de cadelas com síndrome HEC-piometra apresenta processo inflamatório caracterizado pela expressão de COX-2, resultando em maior expressão do marcador de proliferação Ki-67 como resposta tecidual ao agente infeccioso. Ademais, a maior expressão de VEGF-A e seus receptores na HEC-piometra reflete o aumento do fluxo sanguíneo e menor resistência vascular. Portanto, a piometra canina é caracterizada como uma desordem inflamatória, proliferativa e vascular. (AU)