Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de biomarcadores da Doença de Alzheimer em uma coorte de idosos normais, com declínio cognitivo subjetivo e com desempenho excepcional de memória

Processo: 16/25000-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2017 - 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Ricardo Nitrini
Beneficiário:Ricardo Nitrini
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Adalberto Studart Neto ; Carlos Alberto Buchpiguel ; Claudia da Costa Leite ; Monica Sanches Yassuda
Assunto(s):Neurologia  Doenças neurodegenerativas  Doença de Alzheimer  Disfunção cognitiva  Biomarcadores  Peptídeos beta-amiloides  Idosos 

Resumo

Introdução: Baseado no modelo da cascata amilóide, a fase pré-clínica da doença de Alzheimer iniciar-se-ia por um estágio de amiloidose cerebral, depois por estágio de amiloidose com neurodegeneração e por fim um estágio de declínio cognitivo sutil. Este declínio cognitivo sutil caracteriza-se pelo indivíduo experimentar subjetivamente uma deterioração em seu desempenho cognitivo, não detectado objetivamente por testes neuropsicológicos formais. Diversos estudos epidemiológicos vêm demonstrando que indivíduos com declínio subjetivo experimentam maior risco de progressão para demência pela doença de Alzheimer. Adicionalmente, há evidências de maior prevalência de biomarcadores positivos para amiloidose e neurodegeneração. Por consequência, esses achados sugerem que as queixas cognitivas subjetivas podem ser um marcador clínico precoce da patologia. Por outro lado, há idosos cujo envelhecimento não é acompanhado por um declínio em suas habilidades cognitivas. Esse grupo, denominado como "superidosos" ou "SuperAgers", constituem-se de octa e nonagenários cujo desempenho em testes de memória iguala-se a de indivíduos 20 a 30 anos mais jovens. Objetivos: Analisar e comparar a presença de biomarcadores da doença de Alzheimer em uma coorte de idosos normais, com declínio cognitivo subjetivo e com desempenho cognitivo excepcional ("SuperAgers"). Os objetivos secundários são comparar o desempenho longitudinal em testes neuropsicológicos, analisar a sensibilidade da tarefa de memória integrativa (Short-Term Memory Binding) como marcador de declínio cognitivo subjetivo, comparar as regiões anatômicas comumente com maior vulnerabilidade à patologia Alzheimer quanto à espessura cortical, metabolismo glicolítico e depósito de peptídeo beta-amilóide e, por fim, investigar se a presença do alelo E4 da APOE está relacionado com maior prevalência de declínio cognitivo subjetivo. Metodologia: A amostra será constituída por idosos saudáveis recrutados a partir do "ambulatório de idosos sem senilidade sistêmica e sintomática" do serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os voluntários serão divididos em três grupos: controles normais, sujeitos com queixa cognitiva subjetiva e idosos octa/nonagenários com desempenho excepcional em memória (SuperAgers ou SuperIdosos). Os três grupos serão seguidos longitudinalmente por três anos e comparados quanto à positividade ou não dos biomarcadores para peptídeo beta-amilóide (PET-CT com marcador amilóide) e para injúria neuronal (PET-CT com fluorodeoxiglicose), quanto à atrofia cortical em ressonância magnética estrutural e quanto ao desempenho em testes neuropsicológicos formais. (AU)