Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de antígenos/epítopos protetores de células B contra formas sanguíneas assexuadas e sexuadas de parasitas Plasmodium através de anticorpos monoclonais

Resumo

Apesar da redução na incidência e mortalidade da malária no mundo desde o início do atual século, a OMS estimou quase 250 milhões de casos em 2015, resultando em aproximadamente 430 mil mortes. A maioria das mortes por malária concentra-se em poucos países da África e em decorrência, principalmente, da infecção pelo Plasmodium falciparum em crianças. Indivíduos oriundos de áreas endêmicas à malária são continuamente expostos ao parasita e acabam desenvolvendo imunidade protetora. Porém, ela leva anos para se formar e depende de múltiplas exposições ao patógeno. Esta imunidade é derivada principalmente da geração de anticorpos contra antígenos de formas sanguíneas assexuadas e sexuadas do parasita. Com este aumento no título de anticorpos, estes indivíduos passam a apresentar sintomas atenuados após novas exposições ao parasita. No entanto, ainda podem transmitir o parasita para novos mosquitos. Durante cada infecção, diversas variantes proteicas do parasita são expressas, estimulando uma ativação policlonal de células B. Contudo, este evento parece induzir exaustão das próprias células B. Associadas à redução funcional das células B, alterações já foram observadas na expressão de citocinas e da frequência das próprias populações de células B, como as de memória, centro germinativo, e as secretoras de anticorpos, culminando com diminuído títulos de anticorpos previamente gerados. Por outro lado, anticorpos provenientes de soro de adultos crônicamente expostos ao parasita têm a capacidade de proteger crianças de desenvolver malária grave. Antígenos provenientes de merozoítas extracelulares, eritrócitos infectados e gametócitos são os principais alvos dessa resposta humoral. Nas últimas décadas, alguns antígenos de P. falciparum e P. vivax foram identificados como alvos desta resposta, porém nenhum mostrou ainda grande capacidade protetora em ensaios clínicos. O modesto número de alvos encontrados deve-se à baixa imunogenicidade destes antígenos, dificuldade de se gerar proteínas com a conformação terciária natural, essencial para a resposta humoral, e falta de correlatos de proteção. Portanto, é o objetivo geral da presente proposta identificar novos antígenos protetores das fases sanguíneas assexuada e sexuada de P. berghei com anticorpos monoclonais gerados de camundongos imunes. Estes animais serão gerados a partir de desafio com eritrócitos infectados por merozoítas de P. berghei, seguido de tratamento com piremidina, ou de naives imunizados com extrato proteico de gametas. Células secretoras de IgG serão isoladas do sangue ou baço, como células únicas, para clonagem de seus respectivos genes V(D)J de imunoglobulinas e produção de anticorpos monoclonais (mAbs). Após confirmação da especificidade e funcionalidade destes mAbs, eles serão utilizados para identificação de seus alvos por espectometria de massa. Confirmada a identificação de um "novo" antígeno, genes ortólogos dele terão sua biologia explorada em relação ao fitness parasitário e capacidade de induzir proteção como candidato a vacina em parasitas que causam malária em humanos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BONEZI, VIVIAN; CATANEO, ALLAN H. D.; BRANQUINHO, MARYANA S. F.; SILVA, MAYSA B. B.; GONZALEZ-DIAS, PATRICIA; PEREIRA, SAMUEL S.; DE SOUZA FERREIRA, LUIS C.; NAKAYA, I, HELDER; CAMPA, ANA; WOWK, PRYSCILLA F.; SILVEIRA, V, EDUARDO L. Flavivirus-Mediating B Cell Differentiation Into Antibody-Secreting Cells in Humans Is Associated With the Activation of the Tryptophan Metabolism. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 11, FEB 11 2020. Citações Web of Science: 0.
SILVEIRA, EDUARDO L. V.; DOMINGUEZ, MARIANA R.; SOARES, IRENE S. To B or Not to B: Understanding B Cell Responses in the Development of Malaria Infection. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 9, DEC 14 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.