Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de viabilidade de jogos digitais adaptáveis ao perfil de pessoas com deficiência como instrumento de apoio à reabilitação

Processo: 16/08358-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2017 - 30 de junho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação - Sistemas de Computação
Pesquisador responsável:Talita Dias da Silva
Beneficiário:Talita Dias da Silva
Empresa:Bridge Games Desenvolvimento de Programas Ltda. - ME
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):18/02892-0 - Análise de viabilidade de jogos digitais adaptáveis ao perfil de pessoas com deficiência como instrumento de apoio à reabilitação, BP.TT
17/21891-1 - Análise de viabilidade de jogos digitais adaptáveis ao perfil de pessoas com deficiência como instrumento de apoio à reabilitação, BP.PIPE
Assunto(s):Pessoas com deficiência  Tecnologia assistiva  Transtornos das habilidades motoras  Serviços de reabilitação  Realidade virtual  Jogos de computador  Distrofia muscular de Duchenne 

Resumo

Segundo a Organização Mundial da Saúde (Word Health Organization, 2007) aproximadamente 200 milhões de pessoas apresentam dificuldades consideráveis em realizar tarefas simples do dia a dia. A maior parte das crianças e adolescentes com deficiências motoras e cognitivas precisa de reabilitação com grande frequência e intensidade. Porém, as dificuldades de deslocamento, a falta de independência e de motivação durante programas de reabilitação são as principais razões da desistência ou do desligamento de deficientes em programas de reabilitação. Para melhorar a participação das pessoas com deficiências, os jogos em ambiente de realidade virtual têm emergido como uma nova e eficaz ferramenta. Entretanto com os jogos existentes, os deficientes precisam utilizar controles, luvas, aparelhos adaptados ou realizar movimentos predeterminados pelo jogo, o que demanda força e amplitude de movimento que vão além da capacidade dessas pessoas, principalmente as que possuem maior limitação. Nesses casos, os pacientes precisam se adaptar aos jogos, o que nem sempre é possível e compromete os programas de reabilitação. Esse cenário, apresenta a necessidade do surgimento de jogos que sejam adaptáveis tanto ao perfil motor e cognitivo do paciente quanto às demandas de estímulos fisioterápicos do tratamento proposto. Ou seja, jogos cujo funcionamento seja definido pela equipe de saúde e pelo perfil do paciente. Para assim, aliar o prazer de conseguir jogar com os estímulos propostos pelo tratamento. Objetivo: verificação de viabilidade de propor a criação jogos digitais para apoio a reabilitação motora capazes de identificar as características de um paciente, como: limitações de movimento e falta de coordenação e, automaticamente, realizarem modificações em seu funcionamento para permitir que o paciente consiga cumprir as atividades propostas e torná-las motivadora. Ainda na busca de personalização da experiência para o paciente, este projeto também visa permitir que a equipe de saúde controlar o funcionamento dos jogos por meio da alteração de variáveis como: tipo de estímulo, velocidade das tarefas, posicionamento de desafios, frequência, tempo de duração e meta da tarefa. Assim, o principal diferencial deste projeto em relação aos demais jogos disponíveis para apoio a reabilitação é a capacidade de permitir que os jogos tenham seu comportamento ajustado de acordo com perfil do paciente e com o planejamento do tratamento definido pelo fisioterapeuta. Para isto, a viabilidade será analisada por meio da criação de jogos adaptáveis e a verificação de sua eficácia será por meio de coletas de dados com 60 pacientes com distrofia muscular de Duchenne, utilizando-se de conceitos de aprendizagem motora para avaliar a melhora de desempenho motor com a utilização dos jogos. Com isto, espera-se que o jogo promova melhora do desempenho, auxiliando no processo de reabilitação -que para estes pacientes é repetitivo e dura por toda a vida- promovendo maior independência e qualidade de vida aos mesmos, por se beneficiarem de um processo de reabilitação motivador, interessante e que não os exclui. (AU)