Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da Vitamina D e treinamento resistido sobre parâmetros morfofisiológicos e cardio-inflamatórios em pacientes em hemodiálise crônica: ensaio randomizado controlado

Processo: 17/13235-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Barbara Perez Vogt
Beneficiário:Barbara Perez Vogt
Instituição-sede: Faculdade de Ciências da Saúde (FCSA). Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE). Presidente Prudente , SP, Brasil
Pesq. associados:Fábio Santos de Lira
Assunto(s):Metabolismo  Vitamina D  Exercício físico  Inflamação  Diálise renal 

Resumo

Perda de massa e função muscular e capacidade física são prevalentes em pacientes com doença renal crônica em hemodiálise e tem impacto sobre a diminuição da qualidade de vida e aumento do risco de mortalidade. Inflamação crônica sistêmica tem papel nesses prejuízos. Esses pacientes também apresentam deficiência de vitamina D, que leva a distúrbios no metabolismo mineral ósseo e consequente redução da expressão de Klotho, que se associa com o fenótipo de envelhecimento precoce. Uma das características desse fenótipo é a perda de massa e função muscular, que tem sido associada com status de vitamina D em diversas populações. Ensaios com treinamento aeróbio mostraram aumento de Klotho sérico, no entanto, é incipiente estudos com treinamento resistido e avaliação de Klotho. Intervenções que tenham como objetivo promover manutenção e/ou ganho de massa muscular, de capacidade física e função muscular precisam ser investigadas em pacientes com doença renal crônica em terapia dialítica. Portanto, o objetivo desse estudo é avaliar os efeitos da suplementação de vitamina D e treinamento resistido, isolados ou associados, sobre parâmetros morfológicos, fisiológicos, cardio-inflamatórios e bioquímicos de pacientes em hemodiálise crônica. Trata-se de ensaio clínico em hemodiálise, com dois braços: randomizado, duplo cego e controlado com placebo para vitamina D e randomizado, aberto e controlado para treinamento físico resistido. Serão incluídos pacientes maiores de 18 anos em hemodiálise por pelo menos três meses e serão excluídos aqueles com teste ergométrico positivo para isquemia cardíaca. Os pacientes serão randomizados em um dos quatro grupos, e serão submetidos à intervenção por 16 semanas. Treinamento resistido intradialítico será realizado três vezes por semana com duração de 40 minutos durante as duas primeiras horas da sessão de hemodiálise. Suplementação de vitamina D será na forma de colecalciferol na dose de 50 000 UI/ semana. Composição corporal será quantificada por absorciometria de raio-X de dupla energia. Análise de vetores de impedância bioelétrica será feita com os dados fornecidos pelo exame de impedância bioelétrica multifrequencial. Função muscular e capacidade física serão avaliadas por dinamometria e Short Physical Performance Battery. Perfil inflamatório será avaliado pela concentração sérica de citocinas (leptina, adiponectina, IL-1ra, IL-6, TNF-±, e IL-10) e citometria de fluxo (sub-população de linfócitos T CD3, CD4 e CD8 e subpopulação de monócitos CD14 e CD16). Concentração sérica de fósforo, cálcio, PTH e fosfatase alcalina, Klotho solúvel e FGF-23 serão quantificadas para avaliação do metabolismo mineral ósseo. (AU)