Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da fagocitose de células apoptóticas infectadas na ativação de macrófagos M1/M2

Processo: 17/19870-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandra Ivo de Medeiros
Beneficiário:Alexandra Ivo de Medeiros
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Klebsiella pneumoniae  Macrófagos  Streptococcus pneumoniae  Eferocitose 

Resumo

Quadros infecciosos são caracterizados pela intensa migração de células, tais como neutrófilos e monócitos, para o tecido afetado na tentativa de conter a proliferação bacteriana. Estas células, após exercerem suas funções efetoras, entram em processo de morte celular, resultando em um intenso acúmulo de células apoptóticas infectadas no tecido. A fagocitose dessas células apoptóticas, denominada eferocitose, é um processo dinâmico e de fundamental importância para a homeostase dos tecidos. Os fagócitos, dentre estes os macrófagos, são as principais células envolvidas tanto na defesa contra microrganismos como na remoção destas células apoptóticas. Existem ao menos duas populações de macrófagos, M1 (pró-inflamatório) e M2 (anti-inflamatório), que diferem-se quanto ao estado de ativação e função imunológica, em resposta a interação com estímulos antigênicos e/ou fatores solúveis presentes no microambiente. Até o momento, pouco se sabe sobre o efeito da fagocitose de células apoptóticas infectadas e não infectadas na diferenciação destas subpopulações de macrófagos M1/M2. Sabe-se que a fagocitose de células apoptóticas estéreis por macrófagos peritoneais e linhagem de macrófagos leva a uma inibição na expressão de iNOS e TNF-± e o aumento da expressão de Arginase-1, IL-4, IL-13, IL-10 e TGF-², ou seja, um perfil de polarização M2. Por outro lado, dados preliminares obtidos por nosso grupo sugerem que a fagocitose de diferentes fontes de células apoptóticas infectadas, Streptococcus pneumoniae ou Escherichia coli, resulta na diferenciação em macrófagos com perfil misto (M1/M2) e M1, respectivamente.Portanto, a hipótese deste estudo é que a eferocitose de células infectadas com bactérias Gram positivas ou Gram negativas desencadeia uma regulação diferencial da proteína SOCS que influenciará na ativação M1/M2 de macrófagos de maneira dependente dos fatores de transcrição STAT. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
QUEIROZ, SUZANA APARECIDA S.; PINTO, MERI EMILI F.; BOBEY, ANTONIO F.; RUSSO, HELENA M.; BATISTA, ANDREA N. L.; BATISTA, JR., JOAO M.; CODO, ANA C.; MEDEIROS, ALEXANDRA I.; BOLZANI, VANDERLAN S. Diterpenoids with inhibitory activity of nitrite production from Croton floribundus. Journal of Ethnopharmacology, v. 249, MAR 1 2020. Citações Web of Science: 0.
CODO, ANA CAMPOS; SARAIVA, AMANDA CORREIA; DOS SANTOS, LEONARDO LIMA; VISCONDE, MARINA FRANCISCO; GALES, ANA CRISTINA; ZAMBONI, DARIO SIMOES; MEDEIROS, ALEXANDRA IVO. Inhibition of inflammasome activation by a clinical strain of Klebsiella pneumoniae impairs efferocytosis and leads to bacterial dissemination. CELL DEATH & DISEASE, v. 9, DEC 5 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.