Busca avançada
Ano de início
Entree

Dispositivo intravaginal de avaliação direta da força dos músculos do assoalho pélvico e outros parâmetros

Processo: 17/00852-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de dezembro de 2017 - 30 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Daiana Laurenci Orth
Beneficiário:Daiana Laurenci Orth
Empresa:Bio Star Tech Desenvolvimento Ltda. - ME
Município: Sorocaba
Pesq. associados:Fernando Manuel Araújo Moreira ; Patricia Driusso ; Vanessa de Oliveira Sousa ; Vilena Barros de Figueiredo
Bolsa(s) vinculada(s):18/01385-7 - Dispositivo intravaginal de avaliação direta da força dos músculos do assoalho pélvico e outros parâmetros, BP.PIPE
Assunto(s):Saúde da mulher  Assoalho pélvico  Dinamômetro de força muscular  Força muscular  Músculos  Genitália feminina 

Resumo

Os músculos do assoalho pélvico (MAP) formam um mecanismo de suporte dos órgãos pélvicos e são fundamentais para a continência fecal e urinária. A função da bexiga, colo vesical e uretra depende da integridade das estruturas nervosa e de suporte (arco tendinoso, elevador do ânus e fascia endopélvica). Esta interação possibilita o mecanismo de encerramento uretral, eficácia na transmissão de forças à uretra, colo vesical e ativação reflexa dos MAP quando ocorre o aumento da pressão intra abdominal. Dessa forma, disfunções anatômicas nessas estruturas de suporte podem contribuir para a ocorrência de incontinência urinária (IU). A IU atinge aproximadamente 50% das mulheres no mundo, sendo esta definida pela Sociedade Internacional de Continência como a queixa de qualquer perda involuntária de urina. Arnold Kegel em 1948, enfatizou a importância do treinamento dos MAP, o mesmo já afirmava que mesmo a mulher que recebia tratamento cirúrgico deveria realizar o treinamento dos MAP para restaurar a função dessa musculatura. Ele utilizou um manômetro perineal, construído por ele mesmo, que recebeu o nome de perineômetro, para avaliar indiretamente a força dessa musculatura. Com o passar dos anos, foram desenvolvidas técnicas de avaliação dos MAP para realizar o monitoramento do tratamento e para maior conhecimento da fisiologia dessa musculatura, além de auxiliar as mulheres a se conscientizarem da mesma. A palpação digital é muito utilizada pelo seu baixo custo e se baseia em escalas para classificar a força de contração dos MAP sobre o dedo do avaliador, entretanto é uma avaliação subjetiva e depende da experiência do avaliador. O perineômetro é um equipamento muito utilizado no mundo inteiro, porém ele mede somente a força indireta de contração dos MAP. Os dinamômetros são equipamentos que realizam a avaliação direta da força dos MAP, por este motivo, grupos de pesquisa de diversos países desenvolveram seu próprio equipamento. Foi realizada uma busca de dinamômetros vaginais no mercado interno e externo e foi encontrado apenas um fabricante deste equipamento no mercado nacional. Diante da necessidade de um equipamento que realize avaliação direta da força dos MAP, nosso grupo realizou análise crítica dos equipamentos encontrados na literatura, comercialmente disponíveis e registros de patente, e a partir dessa análise propôs-se um modelo de utilidade (número do processo BR 10 2016 026365 4) que reúne características importantes desses equipamentos e que pretende resolver algumas limitações que podem interferir na avaliação funcional dessa musculatura. O modelo de utilidade proposto possui três configurações e o objetivo dessa proposta de pesquisa é verificar a viabilidade econômica e tecnológica das configurações propostas. Espera-se ao final deste projeto verificar para cada um sua relação custo-benefício que melhor viabilizará o desenvolvimento de uma inovação tecnológica a fim de tornar um, ou mais, equipamento comercialmente disponível para os fisioterapeutas, profissionais estes que realizam a avaliação e o treinamento dessa musculatura. Ainda, espera-se que com o equipamento presente no mercado, será possível estimular o tratamento conservador da IU, diminuindo os riscos às mulheres submetidas a cirurgias, além de estimular uma contínua avaliação dessa musculatura para a detecção precoce de disfunções dos MAP. Será um equipamento que permitirá avaliação objetiva dessa musculatura, proporcionando maior segurança ao profissional que a utilizar e fornecerá parâmetros importantes, com destaque para a avaliação direta da força dos músculos do assoalho pélvico. (AU)