Busca avançada
Ano de início
Entree

Envelhecimento induz alterações no nervo somático e componente pós-sináptico sem quaisquer alterações na morfologia músculo-esquelética e capacidade de carregar carga de Ratos Wistar

Processo: 17/24293-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Eliane Florencio Gama
Beneficiário:Eliane Florencio Gama
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde. Universidade São Judas Tadeu (USJT). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurociências  Sarcopenia 

Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar a morfologia do nervo periférico, compartimento pós-sináptico, músculos esqueléticos e capacidade de carregar peso de ratos Wistar em idades específicas. Vinte ratos foram divididos em grupos: 10 meses de idade (ADULTO) e 24 meses de idade (VELHO). Após a eutanásia, preparamos e analisamos o nervo tibial usando microscopia eletrônica de transmissão e os músculos sóleo e plantar para citofluorescência e histoquímica. Para a comparação dos resultados entre grupos, utilizamos teste t de Student para medidas independentes e dependentes com nível de significância definido em pd0,05. Para o nervo tibial, o grupo OLD apresentou as seguintes alterações em relação ao grupo ADULTO: maior área e diâmetro de ambas as fibras e axônios mielinizados, menor área ocupada por axônios mielinizados e não mielinizados, menor densidade numérica de fibras mielinizadas e menos fibras mielinizadas com morfologia normal. Tanto a placa terminal do sóleo como do plantar mostraram maior perímetro total, perímetro corado, área total e área corada em comparação com o grupo ADULTO (p <0,05). No entanto, a placa terminal do sóleo velho apresentou maior dispersão do que as amostras adultas (p <0,05). Para a morfologia dos músculos sóleo e plantar, a densidade do volume intersticial foi maior no grupo VELHO (p <0,05). Não foi encontrada diferença estatística entre os grupos nos testes de carregar peso. Os resultados do presente estudo demonstraram que o processo de envelhecimento induz mudanças no nervo periférico e no compartimento pós-sináptico sem alteração nos músculos esqueléticos e capacidade de carregar carga em ratos Wistar. (AU)