Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia gênica por eletrotransferência do gene do hormônio de crescimento de camundongo em modelo animal de osteogênese imperfeita

Processo: 17/15503-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Cibele Nunes Peroni
Beneficiário:Cibele Nunes Peroni
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruno Ferraz de Souza ; Carlos Roberto Jorge Soares ; Paolo Bartolini
Assunto(s):Terapia genética  Osteogênese imperfeita 

Resumo

A osteogênese imperfeita (OI), conhecida popularmente como doença dos ossos frágeis ou quebradiços, é uma displasia congênita de tecido conjuntivo, caracterizada principalmente por deformidade, fragilidade e baixa densidade ósseas, baixa estatura e outras alterações do tecido conjuntivo associadas a alterações estruturais ou quantitativas do colágeno. No caso da OI do tipo I, há diminuição na quantidade do colágeno tipo I na matriz extracelular (MEC), pois são indivíduos heterozigotos nos quais apenas o alelo não mutado produz esse colágeno, enquanto o alelo mutado gera mRNAs incompletos que, devido a uma mutação por substituição nonsense, são degradados antes mesmo de serem traduzidos. Estes indivíduos têm cerca de 50% da massa de colágeno tipo I em comparação com indivíduos sem esta mutação. Os efeitos do hormônio de crescimento (GH) já foram observados em estudos prévios com um modelo animal portador de OI, os camundongos oim, após aplicação de hGH recombinante, observando-se diminuição da fragilidade e aumento da densidade ósseas, com consequente diminuição do número de fraturas, ganho de peso, aumento do comprimento do fêmur e do comprimento do animal. Portanto, considerando a experiência do nosso grupo neste campo, o objetivo principal do presente trabalho é avaliar, pela primeira vez, os efeitos da terapia gênica por eletrotransferência do gene do hormônio de crescimento de camundongo (mGH) em camundongos oim. Estudos já demonstraram que o GH exerce sua ação anabólica principalmente por aumento da expressão do fator de crescimento semelhante à insulina-I (IGF-I), que por sua vez estimula a síntese dos pró-colágenos ±1 e ±2. Além dos parâmetros mencionados acima, será realizado o cálculo da aproximação do crescimento em relação ao camundongo normal (catch-up growth) e dosagens séricas de mGH e de mIGF-I. (AU)