Busca avançada
Ano de início
Entree

Fenótipos metabólicos da obesidade: associações com ácidos graxos de cadeia curta e componentes das homeostases energética e glicêmica no Nutritionists Health Study - NutriHS

Processo: 17/10185-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Ana Carolina Junqueira Vasques
Beneficiário:Ana Carolina Junqueira Vasques
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Bruno Geloneze Neto ; Dennys Esper Corrêa Cintra ; Sandra Roberta Gouvea Ferreira Vivolo
Bolsa(s) vinculada(s):19/07769-4 - Fenótipos Metabólicos da Obesidade: Associações com Ácidos Graxos de Cadeia Curta e Componentes das Homeostases Energética e Glicêmica no Nutritionists Health Study - NutriHS, BP.TT
18/09712-7 - Fenótipos metabólicos da obesidade: associações com ácidos graxos de cadeia curta e componentes das homeostases energética e glicêmica no Nutritionists Health Study - NutriHS, BP.TT
Assunto(s):Metabolismo  Resistência à insulina  Obesidade  Flexibilidade metabólica  Homeostase energética  Fenótipo  Estudos transversais 

Resumo

A obesidade é uma doença de etiologia multifatorial que se apresenta sob diferentes fenótipos. Há obesos metabolicamente saudáveis (OMS), obesos metabolicamente obesos (OMO), e magros metabolicamente obesos (MMO). Os mecanismos que explicam o desenvolvimento e a manutenção de cada fenótipo não estão totalmente elucidados. Indivíduos com maior fluxo energético e flexibilidade metabólica parecem estar protegidos do ganho de peso e do diabetes tipo 2. Evidências sugerem que a microbiota intestinal modula as homeostases energética e glicêmica via produção de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Estes achados abrem a oportunidade para a investigação de mecanismos que favorecem ganho de peso e desenvolvimento do diabetes. Objetiva-se comparar o perfil de AGCC plasmático e os componentes das homeostases energética e glicêmica em quatro grupos de mulheres com os fenótipos: magro metabolicamente saudável, MMO, OMS e OMO. Trata-se de um estudo transversal dentro do Nutricionists Health Study. Serão estudadas 120 mulheres adultas distribuídas em quatro grupos de 30 indivíduos. As avaliações incluirão: hábitos de vida, antropometria, composição corporal; e perfis lipídico, inflamatório e glicêmico plasmáticos. Os componentes da homeostase energética (flexibilidade metabólica, fluxo energético, oxidação de substratos energéticos) e glicêmica (sensibilidade à insulina, secreção de insulina e incretinas) serão avaliados por calorimetria indireta associada ao teste de refeição padrão; no qual dosados glicose, insulina, peptídeo C, GLP-1 e AGCC. Espera-se compreender até que ponto cada fenótipo possa ser explicado por variações nos parâmetros avaliados. A relevância está na possibilidade de trazer um novo foco terapêutico de investigação para o manejo da obesidade, definindo condições de risco, e fornecendo subsídios para planejar intervenções. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Treinamento técnico em Enfermagem na Unicamp com bolsa da FAPESP