Busca avançada
Ano de início
Entree

Tendência secular, evolução espacial e condições maternas e neonatais associadas à mortalidade neonatal precoce e tardia decorrente de distúrbios respiratórios, infecções, anomalias congênitas e asfixia perinatal no estado de São Paulo entre 2002-2015

Resumo

Introdução: Entender a evolução da mortalidade neonatal por meio da análise dos principais grupos de doenças que causam tais mortes, sua distribuição temporal e geográfica e os fatores demográficos a elas associados pode contribuir para o desenho de intervenções que facilitem atingir as Metas de Desenvolvimento Sustentável, estabelecidas em 2015 pela ONU. Objetivo: Analisar padrões não aleatórios de tendência secular, evolução espacial e condições maternas e neonatais associadas à mortalidade neonatal decorrente de prematuridade, distúrbios respiratórios, asfixia perinatal, infecções e anomalias congênitas no Estado de São Paulo entre 2002 e 2015. Método: Estudo de coorte populacional dos nascidos vivos entre 2002-2015 no Estado de São Paulo classificados em dois grupos: os que evoluíram a óbito entre 0-27 dias e os que estavam vivos até o 27º dia de vida (estimativa: 8.400.000 nascimentos e 75.000 óbitos neonatais). Para os óbitos, os dados serão provenientes da vinculação pelas bases da Fundação SEADE de nascimento e óbito e serão analisados por: 1) Tendência secular dos óbitos neonatais por modelagem matemática exponencial ou polinomial; 2) Análise espacial para verificar a existência de padrões não aleatórios em unidades espaciais geográficas do Estado de São Paulo no decorrer do tempo; 3) Avaliação dos fatores de risco associados ao óbito neonatal, avaliados por regressão logística condicional após pareamento de cada óbito a um recém-nascido vivo similar. Tais abordagens serão feitas de acordo com a causa do óbito (prematuridade, desconforto respiratório, asfixia perinatal, infecções e anomalias congênitas) e idade do óbito (1ª hora, 1as 24 horas, 0-6 dias e 7-27 dias após o nascimento). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ARECO, KELSY N.; KONSTANTYNER, TULIO; BANDIERA-PAIVA, PAULO; BALDA, RITA C. X.; COSTA-NOBRE, DANIELA T.; SANUDO, ADRIANA; KIFFER, CARLOS ROBERTO V.; KAWAKAMI, MANDIRA D.; MIYOSHI, MILTON H.; MARINONIO, ANA SILVIA SCAVACINI; FREITAS, ROSA M. V.; MORAIS, LILIAM C. C.; TEIXEIRA, MONICA L. P.; WALDVOGEL, BERNADETTE; ALMEIDA, MARIA FERNANDA B.; GUINSBURG, RUTH. Operational Challenges in the Use of Structured Secondary Data for Health Research. FRONTIERS IN PUBLIC HEALTH, v. 9, JUN 15 2021. Citações Web of Science: 0.
GUINSBURG, RUTH; SANUDO, ADRIANA; KIFFER, V, CARLOS ROBERTO; MARINONIO, ANA SILVIA S.; COSTA-NOBRE, DANIELA T.; ARECO, KELSY N.; KAWAKAMI, MANDIRA D.; MIYOSHI, MILTON H.; BANDIERA-PAIVA, PAULO; BALDA, RITA DE CASSIA X.; KONSTANTYNER, TULIO; MORAIS, LILIAM C. C.; FREITAS, V, ROSA M.; TEIXEIRA, MONICA L. P.; WALDVOGEL, BERNADETTE; ALMEIDA, MARIA FERNANDA B. Annual trend of neonatal mortality and its underlying causes: population-based study - Sao Paulo State, Brazil, 2004-2013. BMC PEDIATRICS, v. 21, n. 1 JAN 26 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.