Busca avançada
Ano de início
Entree

Diagnóstico da mastite no início da lactação: uso do Somaticell , California mastitis test e da contagem de células somáticas

Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar diferentes métodos para o diagnóstico indireto da mastite durante o período pós-parto. Os métodos avaliados foram: contagem automática e microscópica de células somáticas (CCS), California Mastitis Test (CMT) e Somaticell. Para o presente estudo foram utilizadas 538 amostras de leite de 34 vacas, que foram coletadas nos seguintes momentos: no dia do parto (M1) e 3 (M2), 7 (M3), 15 (M4), 21 (M5) e 30 (M6) dias após o parto. A CCS automática e microscópica, CMT e Somaticell foram capazes de detectar a mastite durante o período pós-parto imediato (até 3 dias após o parto). No entanto, valores de corte mais altos devem ser aplicados para a CCS automática e microscópica. O escore negativo (escore 0) do CMT foi considerado o melhor valor de corte a ser empregado em todos os momentos. Além disto, os valores do teste Somaticell não devem usados para presumir a CCS, já que uma discrepância entre os valores do Somaticell e da CCS automática e microscópica. Pode-se concluir que os distintos métodos que avaliam a celularidade do leite empregados neste estudo podem ser aplicados no diagnóstico da mastite bovina, até mesmo durante o período pós-parto imediato, quando há maior celular idade, como no colostro e no leite de transição. (AU)