Busca avançada
Ano de início
Entree

EMU - equipamento multiusuário aprovado em concessão 2014 / 50844-3 - criostato Leica cm 1860

Processo: 17/22411-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Equipamentos Multiusuários
Vigência: 01 de fevereiro de 2018 - 31 de janeiro de 2025
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Maria Angelica Miglino
Beneficiário:Maria Angelica Miglino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50844-3 - Matriz extracelular na saúde e matriz placentária na regeneração de tecidos, AP.TEM
Assunto(s):Engenharia tecidual  Medicina regenerativa  Células-tronco  Matriz extracelular  Placenta  Equipamentos multiusuários 
As informações de acesso ao Equipamento Multiusuário são de responsabilidade do Pesquisador responsável
Página web do EMU:http://www.cadifmvzusp.com.br/index.php
Tipo de equipamento:Caracterização de Materiais - Microscopia ótica - Transmissão
Caracterização e Análises de Amostras - Criogênica
Fabricante: Leica
Modelo: CM 1860

Resumo

A heterogeneidade, a flexibilidade e plasticidade celular, sustenta a hipótese da associação de biomateriais biológicos bioativos, com células tronco e/ou moléculas bioativas, como uma alternativa na reconstrução de perdas teciduais. É um problema de saúde pública relevante, uma vez que enxertos e transplantes demonstram resultados clínicos nem sempre satisfatórios. De um lado a falta de órgãos e de tecidos destinados a tal finalidade, e do outro a plasticidade da placenta, sugere considerar o órgão como fonte alternativa para biomaterial acelularizado bioativo para geração de novos tecidos. O potencial terapêutico da placenta tem recebido atenção devido a sua capacidade imuno supressora e angiogênica e por ser uma estrutura temporária, na sua maior parte idêntica ao feto, com rica matriz extracelular, onde são identificados hormônios, citocinas, quimiocinas, colágenos, enzimas, antioxidantes e fatores de crescimento como o HGF, EGF e TGF-B. As respostas biológicas da matriz placentária dependem dos métodos utilizados para sua descelularização, estes afetam as propriedades da matriz e interfere na escolha dos tipos celulares a serem utilizados na sua recelularização. Assume-se que um dos principais aspectos na placentação comparativa, ou seja, o estabelecimento da natureza invasiva (hemocorial), intermediária (endoteliocorial) ou não-invasiva (epiteliocorial) da barreira materno-fetal em vários mamíferos euterios, é, essencialmente modulalado pelas condições da matriz extracelular. Estudos comparativos de placenta em modelos animais são essenciais para a compreensão do estabelecimento da placenta e problemas a este relacionados em seres humanos. O estudo dos principais mecanismos e diferenças em relação ao papel da matriz extracelular na invasão placentária de espécies animais, contribuirá para identificar os fatores envolvidos em distúrbios durante a gestação, como pré-eclampsia. Objetivos: 1) analisar as características morfo funcionais, estruturais e ultra estruturais da matriz placentária de espécies distintas, modelos de placenta mais invasivos - roedores, coelhos e modelos não-invasivos como bovinos e equinos; 2) eleger um modelo de "scaffold biológico" no qual células adultas e embrionárias possam ser associadas para produzir novos tecidos, incluindo os vascularizados; 3) analisar as alterações matriciais extracelulares importantes para o entendimento de doenças, tais como, tumores e outras que levam à fibrose tecidual. As matrizes extracelulares do tecido ósseo e do pulmão serão caraterizadas em condições normais e com osteosarcomas e de doença inflamatória das vias aéreas, em modelos animais. Em paralelo, alterações na matriz placentária de gestações, produzidas por clonagem, serão investigadas, para estudar transcriptoma e proteomica, os genes e proteínas superexpressos relacionados ao aumento do desenvolvimento matricial. (AU)