Busca avançada
Ano de início
Entree

Administração tópica de dexametasona interfere com a síntese proteica e regeneração nervosa do epitélio olfatório

Processo: 18/01861-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2018 - 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Isaias Glezer
Beneficiário:Isaias Glezer
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Glucocorticoides  Inflamação  Neurogênese 

Resumo

O processo inflamatório crônico na mucosa nasal é correlacionado com prejuízos à percepção de cheiros. A forte ativação de células imunológicas no epitélio olfatório (OE) é geralmente associada à perda de função olfatória, e drogas anti-inflamatórias esteroidais tópicas têm sido largamente empregadas para tratar estas condições. No entanto, não é claro o quanto esta estratégia terapêutica afeta o processo regenerativo no OE. Neste estudo,demonstramos que a aplicação tópica de Dexametanosa (DEX 200 ou 800 ng/narina), um potente anti-inflamatório esteroidal sintético, atenua a lesão do OE provocada pela infusão intranasal de lipolissacarídeo (LPS) de bactéria gram-negativa. Em contrapartida, a aplicação local repetida de DEX (400 ng/narina) após o estabelecimento da lesão, prejudicou a regeneração de neurônios sensoriais olfatórios (OSNs) após lesões promovidas por LPS ou metimazol. Notavelmente, estes efeitos foram observados quando a droga foi administrada num regime de três dias consecutivos. O anti-inflamatório não promoveu morte de progenitores neurais. No entanto, foram observadas diminuição da síntese proteica e perturbação na via de sinalização mTOR no decurso do tratamento com DEX. Além disto, estudos in vitro conduzidos com neuroesferas de OE na ausência de um microambiente inflamatório demostraram que a ativação de receptores de glicocorticóide (GRs) diretamente reduziu a proliferação de progenitores de OSNs. Os resultados sugerem que a DEX pode interferir com mecanismos regenerativos celulares do OE, levantando preocupações em relação ao uso de anti-inflamatórios esteroidais tópicos como um fator de risco para perda progressiva de função olfatória. (AU)